Será que a tecnologia pode facilitar na hora da limpeza?

Como a tecnologia pode facilitar a limpeza?

Por: Laura Navajas 2.383 views

Robôs que limpam sozinhos e a Internet das Coisas podem mudar o setor de limpeza profissional. E já dá para sonhar em trazer para casa, não?

Embora muitos gostem de um ambiente limpo, poucos gostam de limpar. Passar horas esfregando de fato não é exatamente a ambição de ninguém. Mas é preciso fazer, não? Será que, em pleno 2017, com tanta tecnologia desenvolvida, não há algo que possa ajudar nesse assunto? Aparentemente, sim. Já é possível encontrar robôs que realizam limpeza doméstica, como os modernos aspiradores que funcionam sozinhos.

Quando o assunto é limpeza profissional, então, o setor tem novas possibilidades, graças à tecnologia. “O futuro da limpeza certamente é muito mais automatizado do que nós esperamos e isso já pode ser visto também no mercado nacional, com a chegada de equipamentos e máquinas criados especialmente para facilitar e aumentar a qualidade e produtividade nos resultados deste processo”, conta Sandro Haim, presidente da Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional (Abralimp).

No final do ano passado, algumas ideias foram apresentadas no 21º Congresso da World Federation of Building Service Contractors (WFBSC), maior evento sobre limpeza do mundo. A Abralimp esteve presente no evento, em Tóquio. E trouxe as últimas novidades em soluções tecnológicas e administrativas para o segmento de asseio e conservação, apresentadas no país que é o berço da robótica mundial.

Robôs

Entre as tecnologias que estão revolucionando o setor, e podem se tornar comuns em um futuro bem próximo, estão os robôs que aliam alta tecnologia e inovação na limpeza de vidros, piscinas e grandes áreas como galpões, aeroportos e hotéis.

“Entre outras vantagens, a adoção destes novos equipamentos proporciona mais segurança aos usuários, já que os robôs conseguem limpar locais difíceis de serem alcançados normalmente, permitindo também a redução do esforço físico e uma limpeza mais eficiente”, explica Haim.

Internet das coisas

Outra tendência para o setor é a chamada “internet das coisas”, em que os equipamentos se conectarão ao Wi-Fi e poderão ser controlados pelo celular. Assim, a limpeza poderá ser agendada remotamente, pelos smartphones. Para o setor profissional, o processo fica mais ágil e preciso. Para os reles mortais, controlar o processo de longe pode ser um sonho não tão futuro assim.

“Cada vez mais teremos diversas empresas investindo em pesquisas e no desenvolvimento de recursos que devam garantir facilidades para o setor de limpeza profissional, além, claro, da criação de funções mais simples e novas formas de controle para os equipamentos”, conclui o presidente da Abralimp.

Carregando...

Carregando... por favor, aguarde.