A evolução do coworking

A evolução do coworking

Por: Marcelo Brandão 2.212 views

Conheça a BRAIN, uma rede de escritórios compartilhados que atrai empreendedores ao reunir trabalho, lazer e inovação em São Paulo

brain-coworking-consumidor-moderno

No auge da economia criativa ou compartilhada, a noção de que trabalho, lazer e vida pessoal não se misturam está caindo por terra. Um dos indícios é o surgimento de espaços como a BRAIN – rede de escritórios compartilhados que concentra em um mesmo local negócios e atividades de descompressão -, que vêm estimulando o cenário empreendedor por onde surgem. A unidade-conceito acaba de ser inaugurada em Pinheiros (foto abaixo), totalizando 10 mil m² na capital paulista, e a meta é abrir mais dez espaços até 2017, além de quatro no Rio de Janeiro.

pinheiros-coworking

Como um clube ou, nas palavras do fundador, Dirceu Neto, um “ecossistema produtivo”, a  BRAIN é um local de trabalho que também oferece aulas de ioga e spinning, curso de inglês focado em negócios, fab lab, mini spa e bike elétrica para se deslocar entre as unidades. “Queremos que o profissional se instale na mais próxima e concentre ali todas as atividades do dia, compartilhando com outros membros”, destaca Dirceu.

Oferecer flexibilidade é uma inovação da BRAIN, que acredita em otimizar o deslocamento durante a rotina de trabalho em grandes centros urbanos. Para transformar isso em realidade, a aposta é o plano Flex, que permite a livre circulação entre qualquer unidade da marca. Hoje existe uma na Paulista, outra na Faria Lima e no Jardim Europa – a primeira, lançada há oito anos -, além de Pinheiros e das do Rio de Janeiro e Nova York.

Caso opte pelo plano Fixo, o profissional tem um lugar cativo para trabalhar, pode fazer uso de gavetas e trazer acessórios para a mesa. Outra opção são as salas privativas, mais utilizadas por empresas em diferentes estágios de maturação. “Uma das possibilidades é escalar o negócio, começando pelo Flex ou Fixo e depois migrando para uma das salas”, comenta o fundador.

Quem pode usufruir

O espaço é destinado a profissionais e companhias de diversos segmentos. “Não somos apenas para freelancers e startups. Tanto pequenas como grandes empresas, de setores mais tradicionais ou criativos, podem encontrar aqui um ambiente de oxigenação de ideias, fazendo uma reunião fora do escritório, tomando um café, ou mesmo oferecendo uma opção de local de trabalho flexível para seus funcionários”, explica o idealizador da BRAIN.

Na entrada da unidade recém-inaugurada em Pinheiros encontra-se uma livraria e um café – por si só já duas atrações à parte -, abertos ao público. Mais adentro, em ambiente com decoração orgânica e moderna, aparecem mesas e poltronas para serem ocupadas pelos membros. No andar de baixo e de cima encontram-se salas de reunião e, nos fundos, há mais três espaços, destinados ao lazer.

Já são mais de 1.000 usuários em toda a rede. “Acreditamos na economia consciente e que as pessoas têm muito a oferecer umas às outras. Somos a evolução do antigo coworking”, finaliza Dirceu.

Conheça mais sobre a BRAIN e o conceito que ela traz no vídeo de apresentação:

Carregando...

Carregando... por favor, aguarde.