Cola-Cola aposta em refrigerantes com menos açúcar

Cola-Cola aposta em versões com menos açúcar

Por: Gabriella Sandoval 1.092 views

Nova estratégia também prevê mudança nas embalagens e uma comunicação unificada para as três versões da bebida: regular, zero açúcar e com stevia.

A Coca-Cola vai unificar a publicidade de todas as versões da bebida (regular, zero açúcar e com stevia) e dar atenção redobrada às variações com menos ou zero açúcar. As novas estratégias da marca foram anunciadas nesta quarta-feira (16), em São Paulo, por Marcos de Quinto, vice-presidente executivo global e líder global de marketing da Coca-Cola Company, e Henrique Braun, novo presidente da Coca-Cola Brasil. Elas também contemplam a mudança das embalagens, que devem chegar aos pontos de venda ainda esse mês. “O vermelho no rótulo vai dar mais força e visibilidade às versões zero açúcar e com Stevia”, disse De Quinto.

Com um portfólio que inclui águas, chás, refrigerantes, néctares, sucos e bebidas esportivas, a Coca-Cola tem investido cada vez mais em embalagens individuais (49% do portfólio tem versão abaixo de 250 ml) e na redução de açúcar. Entre 2014 e 2015, os refrigerantes da marca ficaram, em média, 14% menos açucarados. Nas bebidas esportivas, a redução chegou a 30%.

CONFIRA A EDIÇÃO DESTE MÊS

Investimentos
De acordo com Henrique Braun, a companhia deve investir R$ 3,2 bilhões em 2017 no país, montante 10% superior à média dos últimos cinco anos. Ele não deu detalhes sobre o destino dos investimentos, mas destacou que serão voltados a áreas como marketing, infraestrutura e máquinas.

Antes de assumir a presidência companhia no Brasil, em setembro do ano passado, Braun, que começou sua carreira na Coca-Cola como estagiário, comandava as operações da empresa na China e na Coreia. Por aqui, ele tem como desafio intensificar a comunicação dos produtos com redução de açúcar e melhorar a distribuição deles nos pontos de venda num momento em que o mercado de refrigerantes registra queda.

De acordo com os últimos dados da Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e de Bebidas não Alcoólicas (ABIR), em 2015, a produção de refrigerantes no Brasil foi 6,8% menor em relação ao ano anterior, enquanto seu consumo per capita caiu 6,1%. Hoje, o Brasil representa o quarto maior mercado para a Coca-Cola, atrás apenas de Estados Unidos, México e China.

 

Marcos de Quinto, vice-presidente executivo global e CMO da Coca-Cola Company, e Henrique Braun (à dir.). Foto: Divulgação
Nova estratégia unifica as três versões de Coca-Cola. Foto: Divulgação
Nova estratégia prevê mudança nas embalagens. Foto: Divulgação
Brasil representa o quarto maior mercado para a Coca-Cola. Foto: Divulgação
Carregando...

Carregando... por favor, aguarde.