A crise torna as pessoas mais criativas, diz diretora da Mastercard

A crise torna as pessoas mais criativas, diz diretora da Mastercard

Por: André Jankavski 2.153 views

A companhia de meio de pagamentos vem investindo alto para criar serviços que rivalizam com os seus tradicionais cartões

A  diretora de varejo da Mastercard, Vanessa Gordilho, se considera uma millennial. Não tanto pela idade, pois a diretora não nasceu após os anos 80, época em que os especialistas colocam como início da geração. Gordilho se considera uma millennial por também acreditar nos ensejos deles, como diversidade e praticidade. E a Mastercard também vem trabalhando fortemente nisso.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

Não por acaso, a empresa, que é uma das líderes globais em meios de pagamento, está investindo pesado para atrair essa geração. Segundo a executiva, a companhia está acompanhando as mudanças e criando facilidades para que o cliente se sinta adaptado às novas formas de pagamento. A crise tem acelerado esse processo.

“A crise ajuda a readequar os negócios, ou seja, fazer o que já fazemos, só que de maneira mais criativa e eficiente”, afirma Gordilho. Ela dá o exemplo da revolução dos aplicativos no transporte público. Afinal, apesar do táxi continuar com a mesma função há anos, agora é infinitamente mais fácil encontrar um à sua disposição por meio dos smartphones.

Facilidade no dia a dia

Logo, não é por acaso que a empresa venha buscando novas maneiras de oferecer seus serviços aos clientes. No ano passado, por exemplo, a Mastercard lançou um sistema que permite usuários de transporte público pagar passagens aproximando seus cartões de crédito ou débito. Tal sistema eliminaria a necessidade de cartões de transporte, como o Bilhete Único, em São Paulo, e o Riocard, no Rio de Janeiro.

“Os millennials querem fazer essas atividades cotidianas de maneira cada vez mais rápida e segura”, diz Gordilho. “Um dos nossos próximos serviços será um sistema de autenticação de pagamentos por meio de selfies.”

A meta da Mastercard, de acordo com Gordilho, é também atender àqueles consumidores que ainda não são bancarizados e que não tem acesso a cartões. Por isso, serviços pré-pagos também estão cada vez mais no radar da companhia.

Não é para menos. Estima-se que 35% da população brasileira não tenha conta em banco e que, juntos, movimentem cerca de R$ 600 bilhões por ano. Um filão e tanto para a Mastercard atacar.

Carregando...

Carregando... por favor, aguarde.