Inteligência artificial criará mais emprego do que eliminará, diz Gartner

Inteligência artificial criará mais emprego do que eliminará, diz Gartner

Por: Editor CM 12.302 views

Consultoria americana estima que a inteligência artificial será responsável por criar mais de dois milhões de empregos até 2025

O apocalipse está chegando. É o que muitos críticos da tecnologia bradam quanto ao avanço das máquinas frente aos empregos dos humanos. A inteligência artificial, com sua avançada capacidade analítica, vem sendo colocada como um dos atuais ladrões de trabalhos. Isso, no entanto, não vai acontecer.

Pelo menos é o que diz a consultoria americana Gartner. De acordo com um estudo, a inteligência artificial criará mais empregos do que eliminará a partir de 2020. A estimativa é que a IA seja responsável pela criação de dois milhões de postos de trabalho até 2025.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

Os setores mais beneficiados pela tecnologia, segundo o Gartner, será saúde, governo e educação. Por outro lado, os trabalhadores ligados às empresas de manufatura serão atingidos fortemente.

“A Inteligência Artificial melhorará a produtividade de muitos empregos, eliminando milhões de posições de nível médio e baixo”, diz, em nota, Svetlana Sicular, vice-presidente de pesquisas do Gartner.

“Mas também criará milhões de novas posições de habilidades altamente qualificadas, gerenciamento e até mesmo a variedade de nível de entrada e baixa qualificação.”

Para o executivo, a inteligência artificial não pode ser confundida com automação, pois é uma combinação entre inteligência humana e artificial. “Ambos se complementam”, afirma ele.

Dependência da inteligência

Segundo o levantamento, até 2022, um em cada cinco trabalhadores envolvidos na maioria das tarefas dependerá da inteligência artificial. A dependência, no entanto, também ocorrerá por parte da máquina.

Os estudos mostram que trabalhos rotineiros e que tomam um tempo precioso de nosso dia poderão ser feitos inteiramente pelas máquinas, trazendo mais eficiência no dia a dia corporativo.

No varejo, por exemplo, empregos repetitivos estarão ameaçados. Empregos de caixas de supermercados devem ser extintos em um futuro não tão distante. O fator humano, contudo, não tomará o mesmo caminho. Ao contrário.

A pesquisa realizada pelo Gartner mostra que os consumidores ainda preferem interagir com vendedores, especialmente em áreas mais especializadas, como lojas de material de construção ou cosméticos.

E os números mostram o quanto isso trará dinheiro para as companhias. Em 2021, se estima que o aumento da inteligência artificial gerará US$ 2,9 trilhões em valor comercial e ainda trará uma economia de 6,2 bilhões de horas de produtividade dos trabalhadores. ]

“Ao invés de ter uma máquina replicando as etapas que um ser humano executa para alcançar um julgamento particular, todo o processo de decisão pode ser revisto para usar as forças e fraquezas relativas da máquina e do humano para maximizar a geração de valor e redistribuir a tomada de decisão para aumentar a agilidade”, diz Mike Rollings, outro vice-presidente do Gartner.

Carregando...

Carregando... por favor, aguarde.