China fecha 'tinders' que substituíam mulheres por robôs

China fecha ‘tinders’ que substituíam mulheres por robôs

Por: Galeno Lima 1.661 views

Polícia fechou sites e aplicativos e prendeu centenas de suspeitos após descobrir que vários perfis femininos eram bots de inteligência artificial

Imagine pagar por um aplicativo de paquera, e descobrir que você na verdade estava conversando com uma inteligência artificial sem saber? Foi o que ocorreu na China, onde a polícia prendeu mais de 600 pessoas em uma mega operação contra 21 empresas fradulentas. De acordo com o jornal Modern Express, a polícia fez uma megaoperação em 13 províncias na última segunda-feira.

A polícia da província de Guangdong do Sul começou a investigar o caso em agosto de 2017, após suspeitar de um aplicativo que cobrava dos visitantes para vídeos pornográficos, mas não entregava o conteúdo.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

Os investigadores acabaram descobrindo que alguns aplicativos se utilizavam de perfis falsos de belas garotas. As mensagens eram escritas por programas de inteligência artificial, que tinham foco em usuários novos e inexperientes.

“Além disso, as mensagens pediam presentes, fazendo com que os usuários gastassem dinheiro indevidamente, ou seja, geravam um lucro ilegal”, diz o relatório da polícia. Estima-se que milhares de pessoas tenham sido enganadas. Elas teriam gasto cerca de um bilhão de yuans inadvertidamente (cerca de R$ 495 milhões de reais).

O caso foi muito discutido no Sina Weibo, o ‘twitter’ chinês,  e causou repercussão mundial.  Alguns usuários especularam se a China estaria conseguindo grandes avanços na área de inteligência artificial.

Na ficção, o livro Neuromancer, lançado em 1984 pelo escritor americano William Gibson, já falava da criação da “polícia Turing”, especializada no combate a inteligências artificiais. O nome é uma homenagem a Alan Turing, um dos pais da computação. Mais uma vez, a realidade parece se aproximar da ficção.

 

Carregando...

Carregando... por favor, aguarde.