Os 7 inovadores que mudaram o mundo e os que irão mudar

Os 7 inovadores que mudaram o mundo e os que irão mudar

Por: Jacques Meir 8.134 views

SXSW traz apresentação sobre as 7 personalidades que mais inovaram no curso da história humana e revela três que deixarão sua marca no planeta

Figuras míticas ajudaram a construir a inovação ao longo da história. De Thomas Edison a Steve Jobs, de Marie Curie a Nicola Tesla, esses inovadores mudaram o mundo. Mas há em comum entre eles que impulsionou essa incentivado sem precedentes? Melissa A Schilling, autora e pesquisadora da NYU, e autoridade global em inovação, estudou a vida de 7 grandes inovadores e revelou suas forças e fraquezas e depois conversou com 3 grandes inovadores da atualidade sobre como projetam e desenvolvem ideias espetaculares em transporte autônomo, saúde e reaproveitamento alimentar. Tudo isso foi mostrado no painel “Breakthrough Innovators Who Changed The World” no SXSW (onde mais?).

Melissa relacionou Elon Musk, Marie Curie, Steven Jobs, Albert Einstein, Nicola Tesla, Dean Kamen e Thomas Edison em sua lista de inovadores. E o que esses gênios criativos tinham em comum?

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

Um senso de separação caracteriza esses inovadores, são pessoas normalmente deslocadas de seu meio, o que os tornou independentes e mais focados em seus objetivos. Todos os grandes inovadores estudamos por Melissa, priorizaram uma espécie de eficácia pessoal extrema, seu pensamento era direcionado para uma inovação de cada vez, mas sempre procuraram criar mais de uma solução para problemas reais. Também tinham objetivos idealistas, sempre se consideravam a serviço da humanidade.

Os inovadores, na visão de Melissa, sempre foram apaixonados pelo próprio trabalho e não acreditavam nos limites dos homens comuns. Da mesma forma não mediam tempo ou recursos para atingir a inovação de suas vidas.

Princípios e atitudes fundamentais para estimular a cultura de inovação

Para Melissa, a criação sistemática nas empresas precisa exercitar atitudes tais como:
-As pessoas precisam de tempo para trabalhar e refletir sozinhas;
-A criatividade floresce quando abraçamos o estranho é o não convencional;
-A eficácia absoluta advém da redução do preço do fracasso é a valorização das histórias heroicas que levem as pessoas a acreditarem que são mais capazes do que pensam;
-Definir objetivos ambiciosos que se alinhem com os ideias dos seus talentos;
-conectar e habilitar pessoas aos melhores recursos e tecnologias possíveis para viabilizar as ideias

Melissa entrou apresentou 3 inovadores que estão usando seus talentos para resolver grandes problemas e, em larga medida, inovaram de forma impressionante. São eles, Komal Ahmad, fundador e CEO da COPIA, Scott Drennan, Diretor de Inovação da Bell e Seema Kumar, Vice-Presidente de Inovação e Saúde Global da Johnson & Johnson’s.

Fome e comida em excesso

Komal Ahmad criou a empresa COPIA, cujo propósito é resolver o mais idiota problema do mundo: a fome. Ela desenvolveu um processo de direcionar a comida excedente para quem não tem o que comer. Depois de ver e ter contato com pessoas que não comiam regularmente, 1 em 4 habitantes do planeta são vítimas de insegurança alimentar. Ao mesmo tempo, mais de 180 milhões de quilos de comida excedente são descartados diariamente. Logo, o problema não é de fome, é de logística.

A plataforma conecta doadores de comida, motoristas e condutores e operadores pro Bono que recolhem, processam, prepararam a comida e a entregam para quem precisa. Mais de 1100 pessoas já podem comer e se alimentar como estrelas de Hollywood, no caso refugiados de áreas conflagradas do globo. Durante o Superbowl, a COPIA recolheu 23 toneladas de alimentos. Sua concepção de negócio é abordagem do problema vai permitir alimentar mais de 2 milhões de pessoas em 2018. Ela fez uma exortação para que as pessoas possam juntos ajudá-la a resolver o mais idiota dos problemas do mundo: a fome.

Inovação radical

Scott Drennan então falou sobre o espírito inovador da Bell, e que hoje não se dedica mais a criar produtos e sim, simplesmente ideias. “Quando você tem o poder de inovar, você deve ultrapassar esse poder e ir além. Isso significa que você deve permissão a si mesmo antes de pedir aos outros para correr riscos”. Os laboratórios da Bell têm pesquisas incríveis históricas em aviação e transporte aéreo. E o que inovação na visão da Bell e de Scott? Incremental, estrutural, radical, voltada para romper negócios tradicionais. Não se trata de ideação, mas de realmente oferecer negócios prontos para mudar radicalmente qualquer tipo de negócio. O nível de inovação da Bell na indústria aérea, particularmente em helicópteros é notável, com sistemas de Realidade Virtual capazes de pilotar um helicóptero à distância. Ou seja, um ser humano pilota o helicóptero de algum lugar, usando apenas um óculos de RV.

Inovação na saúde

Seema Kumar falou sobre saúde, como combater a mais infecciosa doença do planeta, com foco central em Serra Leoa na África. Ao ter conhecimento do problema do Ebola no pequeno país africano, a executiva foi ver o problema no local, e isso porque ela acreditava que era necessária uma abordagem radical de inovação e abordagem radical de inovadores para ajudar a população local.

A abordagem do sequencialmente do genoma utilizada por Seema e outros cientistas foi utilizar matemáticos para quebrar esse código. Um time colaborativo, bem orquestrado pode fazer a inovação acontecer. Seema falou também sobre os efeitos do zika vírus no encéfalo das crianças, a microcefalia. Uma pesquisa conduzida por uma pesquisadora brasileira na rede global da Johnson & Johnson’s. A cientista falou que há poucos dias a própria FDA aprovou uma nova abordagem de combate ao câncer de mama.

Um painel definitivamente inspirador, mostrando como se constrói e se cultiva um espírito voltado para a inovação de alto impacto. Mais do que gerar vendas, há uma classe talentos inovadores interessados em resolver grandes problemas.

 

Carregando...

Carregando... por favor, aguarde.