Intolerância ou escolha? O aumento do consumo de produtos zero lactose

Intolerância ou escolha? O aumento do consumo de produtos zero lactose

Por: Editor CM 1.789 views

Consumidores querem maior variedade de produtos 0% lactose e estão dispostos a pagar a mais por esse tipo de alimento. É o que indica pesquisa da Novozymes

Uma pesquisa realizada pela Novozymes em parceria com a MindMiners aponta que 70% da população mundial apresenta algum grau de intolerância à lactose e que diversos mercados vêm se adaptando para atender este público. O Brasil ocupa o 26° lugar no ranking mundial no consumo desse tipo de produto. No país, 61% dos entrevistados disseram consumir alimentos 0% lactose em busca de uma alimentação mais saudável. 37% dos participantes afirmaram que estão dispostos a pagar mais por isso.

Entre os produtos lácteos mais consumidos no país estão o iogurte (72,2%), leite longa vida (68%), sorvete (66,4%), manteiga (66,4%), leite condensado (61%), creme de leite (60,4%), leite em pó (56,2%), queijo mozarela e prato (52,8%), bebidas lácteas como achocolatados (45,8%), queijo minas (42,4%), outros queijos (37,4%), sobremesas lácteas (26,4%), leite pasteurizado (16,2%).

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

Segundo o estudo, a maior parte dos alimentos 0% lactose são encontrados em supermercados. O ano de 2016 foi o que mais se destacou em lançamentos de novos produtos do tipo no país. Encabeçando a lista das novidades estão os queijos (115%), os iogurtes (91%), leites (72%), e outros produtos, como creme, sorvete, alimentos infantis, bebidas energéticas, bebidas lácteas, achocolatado, manteiga e doce de leite.

Os consumidores ouvidos pela Novozymes e MindMiners reforçaram que aumentariam o consumo se houvesse uma maior variedade de produtos disponíveis com redução de lactose. Os iogurtes zero lactose são os encontrados com mais facilidade pelos consumidores (50%). 21,4% dos participantes, por exemplo, consumiriam sorvetes deste tipo se fossem mais fáceis de ser encontrados. O mesmo vale para as sobremesas lácteas como petit suisse. Credibilidade da marca e preço, contam na hora da escolha do que colocar no carrinho.

Onde achar informação?

Quando o consumidor quer saber mais sobre intolerância à lactose ele costuma buscar informações majoritariamente no Google (59,6%) ou em consultas médicas (58.8%). Revistas de saúde e nutrição, o famoso “boca a boca” e redes sociais também são usadas para entender melhor o assunto. Entre as palavras mais pesquisadas sobre o tema estão: produtos, alimentos, sintomas, lactose, saúde, causas, efeitos, leite, intolerância e medicamentos.

A pesquisa

Em parceria com a empresa MindMiners, a Novozymes entrevistou 500 pessoas no período de 13 a 15 de dezembro de 2017. Foram feitas vinte perguntas, por meio de um aplicativo, com 58,4% de participação feminina e 41,6% masculina. Aproximadamente 30% dos participantes representam a classe B2, 23% na C1, 18% na B1, 15% na A e 14% na C2. 57% por cento dos entrevistados têm ensino superior, 40% ensino médio e 3% o ensino fundamental, com idades entre 18 e 41 anos.

Carregando...

Carregando... por favor, aguarde.