Conheça os aplicativos mais populares entre os brasileiros

A pesquisa da Mobile Time/ Opinion Box exibiu os aplicativos mais populares. A novidade é a presença dos apps das operadoras de telecomunicações. Veja

Por: - 2 meses atrás

Foi-se o tempo que os aplicativos mais importantes (se não os únicos) de um smartphone eram o WhatsApp, o Facebook e um jogo gratuito. A mais recente pesquisa Panorama Mobile Time/ Opinion Box sobre o uso de apps no Brasil mostra o avanço de aplicativos das operadoras de telefonia.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

O estudo exibe uma série de informações sobre a relação das pessoas com os aplicativos de smartphones. Um deles é o ranking dos 20 apps mais populares na home screen dos brasileiros, ou seja, a lista de apps que aparecem na tela principal do seu celular hoje. Considere como tela principal aquela que aparece logo depois de ligar o smartphone. Pode citar até 20 nomes de aplicativos.

Mobile Time_Oppinion Brasil

A pesquisa mostra que os aplicativos Facebook, Instagram e WhatsApp são os mais presentes nos smarphones dos brasileiros – o WhatsApp, inclusive, é o app mais popular. A grande novidade é a presença (pela primeira vez) dos aplicativos de gestão de planos telefônicos das operadoras. O Meu Vivo, Meu Tim e Minha Oi foram os mais citados, cada um deles presente na tela inicial de 3% dos smartphones nacionais.

Além disso, no ranking dos 20 mais populares, a pesquisa destaca a ascensão de quatro aplicativos que já haviam crescido também na edição anterior da pesquisa seis meses atrás. São eles: Caixa, Twitter, Nubank e Mercado Livre.

Universo

Uso de apps no Brasil é uma pesquisa independente realizada por uma parceria entre o site de notícias Mobile Time e a empresa de soluções em pesquisas Opinion Box. O questionário foi elaborado por Mobile Time e aplicado on-line por Opinion Box junto a 1.931 brasileiros que acessam a Internet e possuem smartphone, respeitando as proporções de gênero, idade, faixa de renda e distribuição geográ­fica desse grupo. As entrevistas foram feitas ao longo de abril de 2018. A margem de erro é de 2.2 pontos percentuais. O grau de confi­ança é de 95%.

Com informações do Mobile Time