Agile e Montana: GM chama recall por problema no airbag

Há risco do airbag não deflagrar, podendo causar lesões graves em especial na cabeça e na parte superior do corpo do motorista. Também pode ocorrer o rompimento súbito do gerador de gás do airbag

A General Motors convocou nesta terça-feira, dia 15 de julho, o recall dos modelos Chevrolet Agile e Montana no Brasil, que podem apresentar defeito no airbag frontal do lado do motorista. O chamado envolve modelos 2014 e 2015 dos veículos e os proprietários devem procurar concessionárias da marca para  substituição do elemento.

No comunicado, a empresa informa ter detectado a possível montagem de um componente incorreto no airbag frontal do lado do motorista, o que compromete a vazão do gás para o interior da bolsa, além de causar o confinamento indevido do gás no interior do gerador de gás do mesmo.

Veja os chassis envolvidos:

Agile (410 unidades) – modelos 2014, fabricados de 14/11/2013 até 17/12/2013,
com números de chassis de ER147038 a ER163227

Montana (5.092) – modelos 2014 e 2015, fabricados de 1º/11/2013 até 27/6/2014,
com números de chassis de EB204869 a FB119056

Nestas condições há risco do airbag não deflagrar, podendo causar lesões graves em especial na cabeça e na parte superior do corpo do motorista. Também pode ocorrer o rompimento súbito do gerador de gás do airbag, expelindo fragmentos para o interior do veículo, com possibilidade de causar lesões graves ao motorista e aos demais ocupantes.

A empresa disponibiliza o telefone 0800-702-4200 e o site www.chevrolet.com.br para agendamento e mais informações.

 

Leia mais:

Procon notifica montadoras para regularização de recalls

O super (e catastrófico) recall da GM

Toyota refaz recall iniciado em 2013

 

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS