Cinco dicas para quem quer se livrar do aluguel em 2014

O brasileiro ainda sonha com a casa própria, o financiamento imobiliário é hoje a modalidade de crédito mais importante do setor. Mas é preciso considerar diversos aspectos antes de encarar o compromisso do imóvel próprio, apesar de ainda ser o investimento mais seguro

A casa própria ainda é o sonho de três em cada dez brasileiros. Segundo o índice FipeZap, a tão almejada casa própria ficou 13% mais cara para o brasileiro em 2013 e o financiamento imobiliário tornou-se a modalidade de crédito mais importante do setor desde agosto do ano passado, superando o crédito pessoal.

O investimento em imóveis é um dos mais seguros pela liquidez e valorização crescente do mercado imobiliário brasileiro. Mas comprar um imóvel é um passo financeiro importante e merece que diversos fatores sejam levados em consideração. Segundo Rogério Santos, CEO da RealtON, primeiro outlet de imóveis do mundo, em primeiro lugar deve-se considerar o capital que se tem disponível para a compra: “A expectativa do imóvel desejado deve estar compatível com o capital que a pessoa tem para compra ou financiamento. As pessoas não se conscientizam que às vezes o que ela está  pagando de aluguel equivale à parcela de aquisição do imóvel. Investidores do mercado já fazem isso. Compram o imóvel, alugam e pagam as parcelas com o valor do aluguel”, explica.

Para auxiliar aos que ainda estão indecisos em relação à compra do imóvel, a empresa separou algumas dicas para que 2014 seja o ano do adeus ao aluguel:

Para quem quer realizar o sonho da casa própria com mais tranquilidade em 2014, a RealtON preparou cinco dicas importantes:

 1. Confira a localização: a facilidade de chegar e sair de seu imóvel pode significar muito tempo do seu dia, por isso, verifique as opções de acesso viário, e se existem alternativas de transportes, como ônibus e metrô;

2. Observe a posição do imóvel:
um imóvel que recebe bastante sol é sempre preferível, tem melhor iluminação, ventilação e menos umidade. Por isso, dê preferência para imóveis que tenham grandes áreas voltadas para o norte, que é a direção que mais recebe sol;

3. Atente-se ao tipo de imóvel: usado, novo ou na planta. Pense na metragem do imóvel, se quer casa ou apartamento, número de vagas de garagem, com ou sem varanda, ampla ou nenhuma área de lazer. Se escolher condomínio, pense até quanto pretende ou pode pagar de taxa;

4. Observe o entorno do empreendimento: procure saber sobre os projetos ao redor do empreendimento. Eles podem influenciar diretamente na valorização ou desvalorização do imóvel;

5. Não se esqueça de fazer suas contas:
a hora é boa também para pensar na melhor forma de financiamento. Com banco ou parcelado, com a construtora direto na planta? Pretende usar recursos do FGTS? Caso disponha de uma boa reserva financeira, ou algum bem que possa ser vendido, como carro – é possível utilizá-la na entrada da compra do imóvel.

 

Leia mais:

Calor e sistema nervoso: entenda as reações do corpo

Guloseimas para as crianças nas férias podem ser saudáveis

Heineken lança campanha “Dance More, Drink Slow”
 

 

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS