Clima seco é mais prejudicial para as crianças: minimize seus efeitos

Pediatra dá dicas sobre como aliviar os males causados pela falta de chuvas e altas temperaturas que diminuem a umidade do ar nesta época do ano

Por: - 50 anos atrás

O clima seco ocasionado pela falta de chuvas e altas temperaturas em São Paulo aumentou  o número de atendimentos de crianças e adolescentes com problemas respiratórios.

Segundo a pediatra e alergista Fátima Rodrigues Fernandes, a secura do ambiente agrava alergias (rinite, sinusite, asma, bronquite etc) e pode causar ressecamento nasal, dor de cabeça e de garganta.

“Se a criança já é alérgica pode sentir ainda dificuldade para respirar, coriza e tosse. Como os poluentes estão concentrados no ar, as crianças menores de cinco anos, cujo sistema imunológico ainda está em formação, são as principais vítimas da estação”, alerta a médica.
 
Ainda de acordo com a especialista, o nariz entupido faz as pessoas respirarem pela boca, surgem então infecções oportunistas. “O nariz funciona como um filtro de ar, quando se respira pela boca, todas as impurezas, como vírus, bactérias e demais substâncias irritantes penetram mais facilmente no nosso organismo”, esclarece.

O ideal é que os pais ofereçam líquidos às crianças para evitar a desidratação. “É interessante lavar o nariz com soro fisiológico para umidificá-lo. Manter o ambiente arejado e colocar bacias com água ou toalhas úmidas nos quartos na hora de dormir também ajuda a combater esses problemas respiratórios”, afirma.
 
Evite ainda:

 Mas lembre-se se a criança estiver próstata e com febre, procure um pediatra para avaliar o quadro. Evite a automedicação, que pode causar danos à saúde da criança e gerar quadros clínicos ainda mais graves.

 

Leia mais:

Seja uma mãe sustentável e garanta um ambiente mais saudável

Adaptações em casa evitam o desperdício de água

Internet é a principal influenciadora na decisão de compra