Crianças precisam falar sobre dinheiro

Para entenderem o valor do dinheiro e que poupar é fazer escolhas, é preciso ensinar a diferença entre essencial e supérfluo para que os pequenos aprendam a economizar sem frustração

Por: - 50 anos atrás

Poupar as crianças da situação financeira da família, especialmente em tempos difíceis, não é uma alternativa eficaz para educá-los financeiramente. Segundo o educador financeiro Reinaldo Domingos, é importante saber como propiciar o primeiro contato deles com o dinheiro, falar da importância da utilização de cofrinhos e entender o motivo de estimular eles a terem, no mínimo, três sonhos: um de curto (até um mês), um de médio (de um a seis meses) e outro de longo prazo (de seis meses a um ano).

De acordo com ele, é fundamental ensiná-los a diferença entre o que é essencial e o que é supérfluo. Se eles já forem mais crescidinhos, é o momento de conversar sobre como se comportar diante do primeiro salário e mostrar a eles que, educando-se financeiramente hoje, é possível garantir um futuro mais próspero.

Mesada: dar ou não?

É notório que a mesada pode ser um instrumento importante para ensinar crianças a assumirem responsabilidade sobre seus gastos e entenderem o valor do dinheiro e que poupar é fazer escolhas, portanto, essa ferramenta os auxiliará a lidar com a necessidade de economizar sem frustração.

Vitor Yamada, juiz do Trabalho em Rondônia, fez sucesso na internet ao divulgar as regras da mesada de seus filhos Giullia, 8, e Vitor, 6. A tabela inclui descontos para desobediência, notas baixas e mau comportamento. Faltar, atrasar ou reclamar para ir à escola causa desconto de R$ 1,00 na mesada, por exemplo. Deixar a TV ligada custa R$ 0,50. Desobedecer ao pai ou à mãe reduz a mesada em R$ 3,00.

O site Me$ada.com.br é outro instrumento que pode ser utilizado para dar dicas sobre como utilizar com consciência o dinheiro dado pelos familiares, com canais com panorama do dinheiro no mundo e foco educativo sobre o mundo das finanças.

No entanto, é preciso ter bom senso ao tratar do assunto dinheiro em casa e levar em consideração a idade de cada criança, sua capacidade de compreensão e nível de amadurecimento.

 

Leia mais:

Brasileiro quer sustentabilidade e transparência das empresas

Cheque especial e empréstimo ainda com juros altos

Butão produzirá apenas alimentos orgânicos