Google desenvolve pílula que pode detectar o câncer

Dispositivo wearable com nanotecnologia pode rastrear células cancerígenas

Os dispositivos vestíveis prometem ser uma verdadeira revolução não apenas tecnológica, mas no mercado de saúde e bem estar e podem ir além da profilaxia e do monitoramento em doentes crônicos. O sempre vanguardista Google está desenvolvendo um dispositivo wearable com nanotecnologia capas de encontrar células cancerígenas dentro do corpo. Um dos cientistas da empresa americana, Andrew Conrad, apresentou o projeto numa conferência do Wall Street Journal Digital.

No projeto, minúsculas partículas são programadas para se espalhar por todo o corpo através da pílula e travar para as células anormais. Em seguida, o dispositivo wearable “chama” as nanopartículas de volta para perguntar-lhes o que está acontecendo com o corpo e para saber se a pessoa que engoliu a pílula tem câncer ou outras doenças.

Este é um terceiro projeto em uma série de iniciativas de saúde do Google. A equipe já desenvolveu uma lente de contato inteligente que detecta os níveis de glicose para diabéticos e utensílios que ajudam a gerenciar tremores nas mãos em pacientes de Parkinson.

O projeto ainda está na fase dos testes, mas o Google se mostra esperançoso para fazer com que essa tecnologia se torne uma realidade para a medicina na próxima década.

Veja o vídeo:

* Com informações do Adnews




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS