O comportamento financeiro do jovem consumidor

Hábitos financeiros e um novo conceito de normalidade estão entre os destaques do estudo ?Radar Jovem ? sobre hábitos e preferências de jovens brasileiros?.

Na sua terceira edição,  intitulada ?Vivendo 80 semanas na vida do jovem brasileiro? e traz dados atualizados de jovens entre 18 e 25 anos, a pesquisa realizada pela B2, empresa especializada em conectar marcas ao público jovem, visa trazer a esse mercado soluções diferenciadas de comunicação e engajamento.

Dados dos participantes:

Jovens das classes A, B e C

De todas as regiões do Brasil

61% mulheres

39% homens

60% com ensino superior incompleto ou em curso

Atualmente, o jovem é responsável por 57% da movimentação financeira do país. Para identificar e conhecer a fundo esse grupo, o Radar Jovem analisou a diferença entre intenção e atitude em sua rotina e como esse comportamento influencia seus hábitos de consumo.

A consolidação das informações é feita com base no cruzamento das intenções de comportamento e das ações efetivamente realizadas. Veja alguns destaques:

Normalidade para encarar mudanças nos planos

 

Atitudes influenciadas por impulso ou oportunidades se sobressaem às planejadas.

A educação é vista como um investimento, já que o merecimento de um salário maior se justifica pelos gastos com educação.
Ter estabilidade, trabalhar com o que gosta, poder conciliar lazer e trabalho, e empreendedorismo também foram citados como perspectivas.

42% sonham com formação profissional
20% querem ganhar dinheiro
50% dos jovens são empregados, mas  numa projeção para 2024, se veem em posições elevadas, porém com a mesma carga de trabalho que têm atualmente, como:

– empresários (36%)

– executivos (32%),

 

Hábitos de Consumo

56% dos jovens universitários se consideram consumidores moderados
24% se consideram compulsivos
15% acham que são econômicos
5% se auto denominam ?pão duros?

Esses números podem ser validados quando o item “economizar” aparece em segundo lugar nos gastos para classe A/B (18%) e em quarto lugar para classe C (11%). 60% dos jovens relatam que administram seus gastos com pagamento à vista. Ser um consumidor moderado não quer dizer que suas compras sejam planejadas, pois mudanças de foco e plano são constantes, seja por influências de amigos ou de ofertas.

O estudo aponta ainda que os jovens preferem não se endividar, por isso priorizam duas modalidades para suas transações: 59% dos jovens afirmam utilizar o cartão de débito e 55% também costumam pagar à vista, em dinheiro.

 

Leia mais:

As cinco maiores tendências da mobilidade urbana

iPhone velho não é iPhone inútil

Queremos atendimento via rede social




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS