Propaganda via mobile desagrada maioria dos brasileiros

Aparentemente ainda não estamos tão abertos assim para que as empresas possam nos abordar por meio de dispositivos móveis. É o que aponta uma pesquisa exclusiva realizada pela Mobi.life,a pedidos da Pagtel.

Por: - 50 anos atrás

Isso pode ser atribuído ao fato de que as empresas ainda estão aprendendo a elaborar suas estratégias de mobile marketing. Além de mapear o comportamento do consumidor, a pesquisa Brasileiros e o M-Commerce dedicou-se também a entender como as pessoas recebem as propagandas via mobile.

De uma forma geral, as propagandas mobile são muito mais criticadas do que elogiadas pelos usuários.

Conheça as piores e as melhores práticas para o consumidor brasileiro via mobile:

Mas o que mais desagrada nas campanhas mobile é a propaganda não autorizada pelo usuário, sobretudo para SMS. Embora o SMS seja o meio menos aceito pelos usuários,  ainda é a forma mais usada pelas empresas para ?conversar? com o consumidor ? cerca de 88% dos entrevistados já receberam algum tipo de propaganda desse tipo.

Outras queixas de quem recebe conteúdo de marketing pelo dispositivo móvel são: conteúdo desinteressante, sensação de invasão, alta frequência de recebimento de mensagens, insegurança em relação a vírus e hackeamento, sobretudo em banners.

O estudo apontou também que as propagandas móveis que mais geram engajamento são aquelas que apresentam conteúdo interessante, ou seja, quanto mais a empresa conhece o usuário e domina os meios móveis de comunicação, mais chances ela terá que conquistar esse cliente.

 ?A pesquisa deixa claro a importância de se aliar a estratégia de marketing digital das empresas com Big Data. Quanto mais os anunciantes souberem sobre seus consumidores, maior será o retorno que ele terá da campanha?, explica Felipe Lessa, diretor de marketing e produtos da Pagtel. Outros pontos que atraem o usuário são o visual bonito da propaganda e a presença de opção de fechar ou apagar a propaganda.

Já banner em sites é o tipo de propaganda que mais gera engajamento em dispositivos móveis, com 56% das pessoas já tendo clicado na propaganda, interessado pelo produto ou serviço (55%), entrado no site do anunciante (54%) ou mesmo, buscado informações sobre o produto e serviços (50%). Além disso, um dado interessante da pesquisa mostra que, apesar da propaganda via bluetooth ser a menos recebida pelos usuários (5% apenas recebem por esse meio), ela ainda é a mais bem aceita por eles (71% dos que receberam conteúdo via bluetooth gostaram da propaganda).

A pesquisa foi realizada entre maio e junho de 2014, com uma amostra 480 pessoas em todo o território brasileiro. Entre os respondentes 60% são mulheres, 38% tem entre 26 e 35 anos e 30% entre 15 e 25 anos, 34% pertencem a classe social B2 e 28% a B1. Além disso, 56% dos entrevistados são do sudeste, 18% do nordeste, 15% da região sul, 8% da região centro-oeste, 3% da região norte.