Qualidade da energia elétrica é avaliada pela ANEEL

Entre as melhores colocadas dentre as distribuidoras estão as companhias do Ceará e Maranhão; Light, do Rio de Janeiro, aparece entre as últimas posições

Por: - 49 anos atrás

O ranking anual de qualidade de serviços prestados pelas concessionárias de distribuição de energia elétrica do país foi publicado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) nesta semana. O levantamento avaliou o desempenho das companhias de janeiro a dezembro de 2013, dividindo-as em dois grupos, de acordo com seu porte.

São 35 distribuidoras consideradas de grande porte, com o mercado faturado anual de energia maior que 1 TWh (terawatt hora), e 28 concessionárias de menor porte, com faturamento anual menor ou igual a 1 TWh.

No primeiro grupo, as três melhores colocadas foram a Companhia Energética do Ceará (Coelce), a Companhia Luz e Força Santa Cruz (SP) e a Companhia Energética do Maranhão (Cemar). A distribuidora com maior evolução foi a Bandeirante Energia (SP), com um avanço de nove posições se comparado com 2012.

As concessionárias do Pará (Celpa), Rio de Janeiro (Light) e Goiás (Celg-D) estão em 33º, 34º e 35º lugar, respectivamente.

No mercado inferior a 1 TWh, os destaques estão na região Sul do país: Empresa Força e Luz João Cesa (EFLJC, SC), Força e Luz Coronel Vivida (Forcel, PR)e Muxfeldt Marin & Cia. (Mux Energia, RS). Os piores desempenhos neste nicho foram registrados pelas empresas Ienergia (SC, 26º), Eletrocar (RS, 27º) e CEA (AP, 28º).

A avaliação é elaborada com base no Desempenho Global de Continuidade (DGC), formado a partir do desempenho em Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora e Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora das concessionárias, comparados aos limites estabelecidos pela ANEEL. Para a entidade, o ranking serve de instrumento para incentivar a melhoria contínua das distribuidoras. 

 

Leia mais:

Brasileiro quer sustentabilidade e transparência das empresas

Vending machine de peças de bikes é instalada em NY

Crianças precisam falar sobre dinheiro