Saúde é o que interessa, é o que aponta pesquisa

Um estudo realizada em 24 países coloca o Brasil como o que mais se importa com saúde no mundo, com 64% dos entrevistados que apontaram o tema como a principal preocupação

Um estudo global realizado pela Ipsos apontou que uma em cada quatro pessoas veem a saúde como maior preocupação em seu país, 23% dos entrevistados. Os entrevistados apontaram o desemprego (45%), a corrupção (35%), a pobreza (34%) e a violência (31%) como outras grandes preocupações.

A pesquisa, realizada em 24 países, coloca o Brasil aparece na frente com 64% dos entrevistados, quando o assunto é preocupação com a saúde, logo atrás vem a Polônia (58%), Canadá (40%), Estados Unidos (37%), Austrália (35%), Hungria (30%), Rússia (27%), Arábia Saudita (27%) e Grã Bretanha (27%).
 
Os mais propensos a classificar a saúde como uma das questões mais preocupantes do seu país, possuem nível médio de escolaridade (26%), têm entre 50-64 anos (25%), mulheres (24%) e aqueles com nível médio de renda familiar (23%).

 

Já aqueles com alto nível de educação (17%), renda familiar alta (18%), homens (19%), menores de 35 anos (20%), baixa escolaridade (21%), aqueles com idade entre 35 -49 (22%) e aqueles com renda familiar baixa (22%) são os menos propensos a se preocuparem com a saúde.

Esse estudo, intitulado Global @dvisor, vem acompanhando desde 2010 as principais preocupações da população em 24 países. O levantamento foi feito em abril de 2014 e contou com a participação de mais de 19 mil pessoas entre 18 e 64 anos de 24 países.

 

Leia mais:

Reduzir consumo diário de álcool diminui doença coronária

Afinal, o que os argentinos acham de nós?

Fotos podem revelar problemas genéticos, diz estudo
 






MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS