E-mail marketing: ame, odeie, mas nunca deixe de usar

Todos amavam e-mails nos primórdios da internet. Mas depois de milhares de correntes para salvar criancinhas, piadas compartilhadas e histórias macabras sujeitas a castigo divino, agora tudo parece spam e indesejável.

Mas por mais que o correio eletrônico divida opinião, e-mail marketing ainda é uma ferramenta legítima, que pode gerar resultados e ainda é vital, isso porque:

E-mail é uma forma fácil de alcançar usuários móbile
Uma razão pela qual o e-mail marketing é importante para os empresários é que é uma maneira fácil de começar a atingir os consumidores no celular sem investir muito em novas tecnologias ou softwares. De acordo com um relatório do Pew Research Center, em abril, 52% dos proprietários de celulares dos EUA acessam aos seus e-mails de seus telefones. O número de brasileiros que acessa a internet por meio do telefone celular atingiu 52,5 milhões em 2013, e representa 31% da população. Além disso, o e-mail marketing também trabalha com outros dispositivos móveis, como tablets. Em julho, a Forrester Research divulgou um estudo que apontou que 42% dos e-mails de varejistas foram abertos por consumidores em seus smartphones e 17% em tablets. Isso significa que cerca de três em cada cinco e-mails marketing dobram enquanto mensagens mobile. Usar o e-mail é melhor que SMS, porque: 

? Funciona em outros dispositivos móveis além de telefones;
? Os e-mails são gratuitos para o consumidor enquanto mensagens de texto podem gerar custo;
? Os e-mails têm muito mais espaço para conteúdo de mensagens de texto, permitindo melhores peças de marketing.

Uma forma efetiva de manter os clientes informados
E-mail marketing não é apenas algo que se faz porque é possível e fácil. A tática é muito efetiva para ajudar empresas e consumidores a ficarem conectados. Aliás, consumidores frequentemente abrem campanhas de e-mail marketing das suas marcas e lojas preferidas. E isso vai além dos cupons de desconto. O estudo Channel Preferences Survey, da Exact Target, apontou que o e-mail é o canal preferido para receber ofertas  em detrimento de outras mídias mais próximas, como redes sociais, SMS ou aplicativos de celular. Um estudo do Relevancy Group nos Estados Unidos de 2013 mostra que em anúncios com vídeo, a taxa de abertura aumenta em 40%.

Cupons: aumento nas vendas online e nas lojas físicas
Apesar de o Brasil ainda estar adquirindo a cultura dos cupons de desconto, a experiência já é muito bem sucedida nos Estados Unidos. Um estudo da Nielsen mencionou que 27% dos e-shoppers norte-americanos recebem newsletters para economizar dinheiro. Esse dado é endossado por outra pesquisa da Deloitte, que mostra que para 65% dos americanos os cupons são importantes para compras no supermercado.  A Shop.org reportou que 64% dos americanos já imprimiram um cupom online.

No Brasil, o pontapé inicial para que essa cultura fosse implementada foram os sites de compras coletivas, aos poucos os cupons chegam à vida do brasileiro. De qualquer forma, cupons são um grande negócio e o e-mail marketing é o coração dessa cultura e a melhor maneira de alcançar quem quer barganhar online.

Fácil de integrar a outras táticas de marketing
A versatilidade do e-mail marketing é uma outra razão pela qual os comerciantes devem manter a tática em sua caixa de ferramentas de marketing. Dependendo da profundidade do banco de dados de e-mail e da habilidade de quem realiza, mensagens de e-mail marketing podem variar de simples a muito complexo. Os e-mails podem ser personalizados para incluir o nome do usuário e até mais. Um pequeno estudo de 139 comerciantes descobriu que os sites usam vários tipos de táticas de personalização que podem ser facilmente aplicadas ao e-mail. Quase metade dos varejistas online americanos usam recomendações personalizadas de produtos (44,9%), cerca de um terço usa o nome do cliente adicionado e/ou uma mensagem de boas-vindas exclusiva (31,5%), e um quarto dos entrevistados relataram a adição de lembretes do carrinho de compras (27,6%) para cobrir todas as suas bases de personalização. Ou seja, e-mail marketing também pode ser utilizado com qualquer outra tática de marketing, o que faz com que enviar e-mail seja uma parte importante de qualquer campanha de marketing integrado.

É barato
Mas a melhor razão para dar mais algumas chances ao e-mail marketing é uma das preferidas em todo o mundo: é bom, bonito e barato. Fácil de realizar e efetivo, pois permite que as empresas atinjam um número grande de usuários por poucos centavos. Esse fator faz da modalidade a melhor escolha para pequenos negócios. Outro estudo da Shop.org mostrou que 85% dos empresários na terra do Tio Sam consideram o e-mail marketing a estratégia mais eficiente de captação de clientes.

No Brasil, no entanto, existe um entrave significativo: o ?Relatório de Benchmarking de Entregabilidade 2014?, da Return Path, revela que a cada 10 e-mails marketing enviados no Brasil, apenas seis chegam à caixa de entrada dos usuários, e as demais são consideradas spams ou se perdem após serem bloqueadas pelos provedores. Diante dos dados, o País está na última colocação do ranking de entregabilidade elaborado no estudo pela empresa de e-mail intelligence.

* Com informações da Inc.

 

Leia mais:

A importância de tuitar em tempo real

Nos Correios, ouvir o cliente é a maior estratégia

Mobilidade ainda não emplacou nas empresas

 




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS