Cartão de crédito e internet serão as vedetes do Natal

Levantamento realizado com mil pessoas também traz perspectivas dos consumidores sobre a economia no Brasil

A Deloitte, empresa especializada em consultorias e auditorias, realizou a quinta edição do estudo que antecipa as tendências relacionadas ao período de festas natalinas. A ?Pesquisa Natal 2014 ? Revelação sobre o hábito de consumo dos brasileiros? aponta que a proporção de pessoas com pretensão de gastar mais no Natal em 2014 diminuiu relativamente na comparação com os resultados da edição anterior do estudo.

?Alguns dados demonstram que o brasileiro está atingindo uma maior maturidade financeira a cada ano. Quase 70% dos pesquisados mantêm o pensamento de avaliar primeiro os custos, mesmo que isso signifique ter um Natal mais enxuto?, aponta Reynaldo Saad, sócio-líder da Deloitte para o atendimento às empresas do setor de bens de consumo e varejo na América Latina e responsável técnico pela pesquisa.

Um dado inédito na edição de 2014 é que parte significativa dos consumidores ? 43% ? pretende antecipar as compras para novembro ? o maior índice já indicado para este mês, na série histórica de cinco anos da pesquisa. ?Este novo momento de compra é um dado muito importante para que os varejistas estejam preparados para atender aos consumidores, tanto no nível de estoques como na qualidade da prestação dos serviços?, comenta Reynaldo Saad.

Com relação aos produtos mais desejados, os itens que tiveram crescimento e mais chamaram atenção ? comparando 2013 e 2014 ? são: melhoria da casa (de 13% para 19%), cosméticos e perfumes (de 22% para 26%) e artigos esportivos (de 9% para 14%).

É a primeira vez que a pesquisa apresenta a opinião dos entrevistados sobre a pretensão de viajar para o exterior para fazer as compras de Natal. 18% da amostra diz que viajará em 2014 ou no próximo ano com a intenção de fazer compras. Dos respondentes dessa questão, 23% pertencem às classes A/B e 17% à classe C, sendo a região Nordeste a que mais se destaca, com 23% dos respondentes que afirmaram a questão.

?O resultado comprova novamente que o brasileiro busca cada vez mais os mercados internacionais para aproveitar suas férias e também efetuar as compras de produtos cujo os preços são mais baratos que no Brasil?, complementa Reynaldo Saad.

Domínio do dinheiro plástico e da internet
Os cartões de crédito e de débito continuam sendo o meio de pagamento preferido para 68% e 47% dos pesquisados, respectivamente. Em 2010, primeiro ano da pesquisa, o cartão de crédito era utilizado por apenas 29% dos pesquisados.

Com relação aos canais de compra, a internet segue liderando a preferência dos consumidores, com 66%, contra 58% das lojas de shopping e 49% das lojas de departamento. ?Na medida em que o uso da internet incorpora-se aos hábitos de consumo dos brasileiros, sem distinção de idade e classe sociais, os principais motivos para que as compras on-line seja a primeira preferência, estão os preços mais baixos, praticidade e o frete grátis?, aponta Reynaldo Saad.

As mídias sociais também serão utilizadas para pesquisar opiniões ou recomendações de produtos e 72% dos pesquisados dizem que elas influenciaram nas decisões de compra.

consumidor de natal cm

Informações sobre a pesquisa
A ?Pesquisa Natal 2014 ? Revelação sobre o hábito de consumo dos brasileiros? contou com 1.000 entrevistados de todo o Brasil, na primeira quinzena de outubro, 50% do sexo masculino e 50% do sexo feminino. A distribuição geográfica da amostra atingiu 20% em cada uma das seguintes região do País: Centro Oeste e Norte, Nordeste, Sudeste (sem São Paulo), Sul e Estado de São Paulo. As principais faixas etárias são dos grupos de 30 a 44 anos e 45 a 60 anos, com 68% da amostra. 24% têm entre 18 e 29 anos. A pesquisa também é realizada nos seguintes países da América Latina: Argentina, Chile, Peru, Colômbia e México.

Infográfico | Fernanda Pelinzon

 

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS