Consumo no Nordeste

Nielsen destaca traços marcantes do shopper de grandes redes no Nordeste e:   – região cresceu 2,4%, enquanto a média no Brasil caiu 0,5% – dona de casa nordestina é mais tentada a comprar novidades – 45% dos shoppers estão mais propensos a experimentar novidades, gastando 30% a mais que a média da região

 
No último ano, o consumo no Nordeste cresceu 2,4%, enquanto a média no Brasil caiu 0,5%. Nenhuma outra região atingiu tal desempenho nesse período, sendo a classe média o principal motivador, com uma contribuição de 71% desse crescimento. Mas o que mais se destaca na edição da pesquisa do Nordeste 2013 realizada pela Nielsen, são os 28% das nordestinas que se sentem ?tentadas? a comprar novidades, enquanto a média brasileira é de 26%.

?Quando falamos de shoppers (aquele que decide a compra) de grandes redes no Nordeste, 45% deles também estão mais propensos a experimentar novidades, gastando, em média, R$ 48,60 por compra, valor 30% maior que a média da região?, avalia

Luciana Ignez, analista de mercado da Nielsen. Os novos itens colocados à disposição dos consumidores nordestinos possuem papel importante no desempenho das cestas avaliadas pela Nielsen. No último semestre de 2012 e no primeiro deste ano, nas grandes redes varejistas, 53% do crescimento em faturamento das cestas da região se deve às novidades. Apesar dos números altos, a indústria ainda tem muito espaço a explorar.

De todos os lançamentos realizados no Brasil nos últimos dois semestres, que totalizaram mais de 19 mil itens, 48% também estão no Nordeste. Entretanto, os resultados em vendas poderiam ser ainda melhores. Falhas na execução geraram resultados inferiores à média nacional. São falhas como: velocidade da distribuição, ponto extra na gôndola, oferta e preço. ?Há oportunidades para melhorar a performance das novidades na região com assertividade na distribuição, planos adequados a cada tipo de categoria e posicionamento de preços?, comenta Luciana.






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS