Quer ser um franqueado virtual? Leia isto

O ecommerce se estabeleceu como um mercado atrativo para o consumidor brasileiro. De olho neste modelo de negócios, as franquias virtuais começam a despontar como um caminho promissor para muitos empreendedores.

Setores de comunicação, informática e eletrônicos, como soluções em estratégia de marketing digital, serviços de consultoria variados, ensino de idiomas, oferta de emprego e venda de produtos eletrônicos estão entre os segmentos mais promissores.
 
Segundo pesquisa da ABF, Associação Brasileira de Franchising, o setor de franquias faturou, em 2013, mais de 115 bilhões de reais, um aumento contínuo desde 2003. A variedade de serviços oferecidos, custos iniciais relativamente baixos (a partir de R$ 20 mil, de acordo com a ABF) e retorno a curto prazo são alguns dos atrativos. A ABF possui atualmente 405 franquias associadas.
 
Parece um modelo de negócios tentador num Brasil mais conectado e disposto a consumir, porém, um franqueado online deve tomar alguns cuidados, do contrário, o sonho de um bom negócio pode virar um pesadelo.
 
Segundo especialistas, é imprescindível que os interessados pesquisem e questionem o tipo de suporte oferecido. O treinamento nem sempre é online. É de responsabilidade de cada franqueador como funcionará este processo. Em casos de rede de franquias onde não existam lojas físicas, o franqueador precisa organizar uma maneira para que o franqueado comece a trabalhar com o mínimo de conhecimento das ferramentas e de estratégias de crescimento. Encontros pontuais podem facilitar essa comunicação.
 
Para fazer uma boa escolha é importante também que o franqueado conheça e troque informações com membros da mesma rede – isso pode ser respaldado pelo franqueador através de processos e ferramentas em rede.
 
Em contrapartida, cabe aos franqueadores a responsabilidade de escolher bons parceiros. O perfil do franqueado virtual é determinante para o sucesso neste setor. Afinidade com área digital e com ferramentas de marketing online são qualidades imprescindíveis, assim como ser um profissional interessado em novidades e preparado para trabalhar em um segmento que traz novidades a todo o momento – avaliá-las muito bem, antes de tomar uma decisão, é fundamental.
 
Neste cenário a maioria dos interessados é formada por jovens já familiarizados com as novas tecnologias, o que pode ajudar em certas escolhas, porém, em muitos casos a falta de experiência pode trazer muitas dores de cabeça – nessa hora uma boa consultoria também pode ser de grande ajuda.
 
O franqueado virtual deve estar atento a todas essas inovações e detalhes e construir uma rede de contatos e parceiros forte. Sendo um segmento relativamente novo no Brasil ele ainda carece de experiências práticas para que, a partir delas, sejam criadas diretrizes consistentes, mais conhecimento e novos conceitos que tornem futuras escolhas mais assertivas. Entretanto, uma coisa é certa: cada vez mais teremos consumidores interessados em compras online.
 
 
Marcelo Brandão é Editor-Assistente de Plataformas de Conteúdo do Grupo Padrão.






ACESSE A EDIÇÃO DESTE MÊS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS