Uma tradicional loja de departamento europeia

Galeria Kaufhof existe desde 1879 em Dusseldorf e é exemplo de respeito ao sortimento regional

A primeira Galeria Kaufhof, aberta há 135 anos, vendia fios, botões, tecidos e lã. Hoje, é uma referência como provedor de estilo de vida moderno na Alemanha. São 137 lojas, e vendas anuais na ordem de 3.1 bilhões de euros. Lá, um pouco de tudo está a venda. Moda, cosméticos, joias, acessórios, artigos para casa, alimentos.

Visitamos a loja de Dusseldorf, onde 15 mil pessoas circulam diariamente ? aos sábados esse número pula para 40 mil. Nosso grupo de brasileiros, liderado pelo Popai, foi recebido pelo gerente da loja Thomas Seybold. ?A intenção aqui é oferecer tudo que se precisa no dia a dia?, explicou. Até peixe vivo. Menos eletrônicos. ?Entendemos que não vale a pena manter esta seção devido ao ecommerce ser muito forte?, comentou Seybold.

São 25 seções, ou categorias, a venda na unidade de Dusseldorf. O ambiente é marcado por marcas conhecidas, mas suas marcas próprias de moda feminina, masculina e calçados ganham um bom espaço de exposição. ?As marcas próprias são apresentadas de forma similar às marcas tradicionais; com uma ampla vantagem de preço?, analisa o professor do Insper Silvio Laban, presente à visita.

 

Algo interessante a ser mencionado diz respeito ao sortimento regional. As lojas maiores da rede têm autonomia para decisões específicas, limitadas, em tese a 15% do estoque ? número que chega a 50% na loja de Munique. Na visão de Laban, ?esta autonomia possibilita aos gestores da loja adaptar o sortimento e demandas locais específicas, bem como agilizar a entrega de produtos, sem que os mesmos passem pelo centro de distribuição localizado em Colônia?.

Outra curiosidade chamou atenção durante a visita. O gerente Seybold comentou o quanto os displays posicionados ao lado das escadas impactam o resultado das vendas. ?É um ponto altamente lucrativo?. Para ilustrar: as caixas de chocolate Lindt, originalmente a 15 euros, estavam sendo oferecidas a 7,9 euros. Por semana, as vendas apenas deste item somam entre 5 e 10 mil euros. Ele lembra: ?No Natal, aqui, expomos ursinhos de pelúcia a 7 euros. Vendíamos 15 mil euros por dia, precisávamos repor diversas vezes?.




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS