Para varejistas, tecnologias móveis ajudam a reduzir custos

Estudo mostra que mercado de varejo acredita que atendimento pode melhorar com uso de inovações tecnológicas  

shutterstock

Um estudo encomendado pela Motorola Solutions sobre o mercado varejista brasileiro e realizado pela Business Marketing Solution (BMS diagnosticou as tecnologias mais utilizadas e quais são suas capacidades de expansão.

Apesar de parecer conservador em relação aos aparatos tecnológicos, o varejo brasileiro parece estar cada vez mais preparado para atender a uma demanda de consumidores cada vez mais exigentes e bem informados.

Os dados indicam que a maioria das empresas consultadas reconhece que o uso de soluções tecnológicas traz benefícios em diversos setores. Para 94% dos participantes, o emprego da tecnologia móvel ajuda a reduzir os custos.

Mais de 98% dizem que o uso desses recursos permite melhorar a produtividade, enquanto 96% acreditam que o atendimento ao cliente também é impactado positivamente pela utilização de equipamentos tecnológicos.

Dentre as empresas entrevistadas, as do Rio Grande do Sul são as que afirmam mais utilizar essas novas tecnologias.

O estudo foi realizado com 300 empresas varejistas no Brasil, dos segmentos de drogarias, eletroeletrônicos, supermercados, materiais de construção, lojas de departamentos e vestuário, que possuem no mínimo seis lojas. Os principais temas abordados foram as tecnologias de automação utilizadas nos caixas, gestão de logística e estoques, entrega de mercadorias, comunicação entre funcionários, entre outros.

Resultados sazonais

?78% das empresas consultadas utilizam leitores de código de barras na frente de caixa, e 61% desses aparelhos são fixos.

?88% das empresas utilizam redes sem fio, e dos 12% que ainda não possuem wi-fi 9% pretendem implantar

?49% utilizam coletores de dados para fazer inventários, 39% no centro de distribuição, 30% no depósito e 20% para outras funções dentro das lojas.

?45% das companhias utilizam coletores de dados nos processos logísticos de distribuição de mercadorias para as lojas; 19% das empresas que não adotam esse sistema pretendem implementá-lo futuramente.

?33% das empresas paulistanas utilizam sistemas de automatização para agilização de filas nos caixas. Entre os que não utilizam, 14% pretendem implementar.

?No Estado de São Paulo, 28% das empresas utilizam sistemas de rádio para que os funcionários possam se comunicar. No Rio de Janeiro, o índice cai para 22%, e no Paraná, para 17%.

?45% das empresas consultadas no Estado do Rio de Janeiro informaram que utilizam leitores de código de barras em seus centros de distribuição, enquanto 41% usam para a verificação de preços nas lojas.

?No interior do Paraná, 59% das empresas têm processos logísticos de distribuição de mercadoria automatizados com coletores de dados. Na grande Curitiba, esse número sobe para 75%.

?Entre as empresas consultadas, 49% já ouviram falar da tecnologia RFID, e entre as quais 4,73% declararam utilizar, mas entre as que não possuem a tecnologia, 36% pretende implantar.

?Na Região Centro-Oeste , 90% das empresas consultadas utilizam leitores de código de barras nos caixas, e 60%, nos centros de distribuição. No Nordeste, esse número é de 84% para a frente de caixas e 54% nos centros de distribuição.




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS