Interactive Intelligence debate superação de desafios

Durante o Interactions 2014, o alpinista Aron Ralston, que inspirou o filme "127 horas", conta como sua superação tem inspirado empresas ao redor do mundo

Tempo de leitura: 2 minutos

6 de abril de 2014

A Interactive Intelligence, fornecedora global de soluções e serviços para aprimorar a experiência do cliente, mostrou durante o segundo dia do evento Interactions 2014 – encontro que começou segunda-feira e termina amanhã em Indianópolis, Indiana (EUA) – como reforçar ainda mais a qualidade de serviço oferecida pela empresa.

Durante o Keynote Speech de seu CEO, Don Brown, ficou claro o empenho da Interactive Intelligence de garantir a máxima confiabilidade e performance para suas aplicações na nuvem. “A continuidade das operações das empresas que usam nossos serviços poderá, agora, ser reforçada com a opção de contratar o Interactive Intelligence PureCloud, plataforma distribuída por meio da infraestrutura da Amazon Web Services (AWS)”, diz Brown. “O AWS é uma nuvem elástica e confiável que garante o uptime dos sistemas em todo o planeta; trata-se da resposta que procurávamos para dinamizar ainda mais nossa oferta”.

A oferta Interactive Intelligence PureCloud destaca-se por oferecer ao mercado rápida implementação e excelente confiabilidade e escalabilidade, garantindo a qualidade de serviço, independentemente de geografias ou infraestruturas locais de Telecom. O Interactive Intelligence PureCloud estará disponível nos EUA até o final deste ano, e em outros países em 2015.

Aron Ralston, do filme ‘127 hours’, vai ao Interactions 2014

Outro tema do segundo dia do Interactions 2014 foi muito impactante: como transformar uma situação de morte certa em uma lição de vida. O alpinista, palestrante e engenheiro norte-americano Aron Ralston, conta durante o Keynote Speech como foi ficar preso por 127 horas em Utah, num desfiladeiro entre pedras, e revela como teve de cortar parte do braço para conseguir sair com vida desta armadilha. Sua história rendeu o filme “127 horas”, de 2010, com o ator James Franco fazendo o papel de Aron Ralston.

Em sua palestra no Interactions 2014, Ralston explicou: “Durante a maior parte dos dias em que fiquei com o braço preso à parede do desfiladeiro, eu pensava na rocha que havia se deslocado e imobilizado meu braço como um grande problema, algo que me levaria à morte”. E, efetivamente, ao final de alguns dias, Ralston se preparou para morrer. Ele havia tentado cortar o braço preso com o canivete que possuía, mas não conseguiu realizar essa operação – os ossos resistiam à ação do canivete. “Foi aí que percebi que a rocha que era minha sentença de morte poderia ser, também, minha libertadora – eu só precisava da coragem para usar a rocha como uma ferramenta para quebrar os ossos do meu braço direito”. Ao final de sua palestra, Ralson explicou: “Sempre haverá pedras no nosso caminho; é o modo como lidamos com essas rochas que nos faz dignos de admiração”.




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS