Carboidratos e o câncer de mama

Estudo mostra a conexão entre o consumo de carboidratos, aumento de açúcar no sangue e câncer de mama

 Um novo estudo mostra o que os pesquisadores suspeitavam há anos ? o consumo de carboidratos eleva espetacularmente o risco de um tipo comum de câncer de mama, um tipo conhecidamente difícil de tratar, de acordo com artigo programado para publicação na revista Life Extension em outubro.

O estudo, publicado no início deste ano na categoria Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention, revelou que as mulheres na pós-menopausa com câncer de mama prévio eram duas vezes mais propensas a ter recaídas se sua ingestão de carboidratos permanecesse estável ou aumentasse após a cirurgia. Embora o estudo tenha focado na redução da recorrência de cânceres futuros, pode ter enormes implicações para as mulheres que nunca tiveram câncer de mama, bem como para todos os interessados ??em prevenir cânceres no futuro.

“Há um interesse crescente entre a comunidade científica na relação entre o consumo de carboidratos e câncer, com um foco especial sobre o câncer de mama”, diz Michael A. Smith, médico e cientista sênior da saúde da Life Extension. As dietas ricas em carboidratos facilmente digeridos (como os encontrados na maioria dos alimentos processados??) estão associadas ao aumento dos riscos de câncer. Mulheres que consomem grandes quantidades de alimentos com alto teor glicêmico tem 57% mais de risco de câncer de mama.

Este risco aumentado foi especificamente identificado em pessoas que estão com sobrepeso ou obesos. As mulheres com sobrepeso, por exemplo, são 35% mais propensas a ter câncer de mama se comerem uma grande quantidade de alimentos com alto teor glicêmico. As mulheres asiáticas cuja principal fonte de carboidratos é arroz branco são 19 por cento mais propensas a desenvolver câncer de mama a cada aumento de três onças (aproximadamente 85g) em sua ingestão de arroz por dia. Mas aquelas que comem arroz integral, amido de  digestão mais lenta, têm 24% menos probabilidade de desenvolver câncer de mama a cada aumento das porções de arroz consumidas por dia. Quando os níveis de glicose ficam altos a ponto de entrar na faixa de diabetes, o risco de câncer de mama cresce o dobro do que o de mulheres na pós-menopausa com níveis normais de açúcar.

Além de aumentar o risco de desenvolver câncer de mama em mulheres na pós-menopausa, a carga glicêmica e consumo total de carboidratos também estão associados aos piores tipos de câncer de mama, ou seja, aqueles que não possuem receptores para moléculas de estrógeno e progesterona. Mas há um problema ainda maior com o alto consumo de carboidratos, mesmo quando os níveis de açúcar no sangue não sobem.

“As dietas ricas em carboidratos produzem elevações crônicas de insulina à medida em que o corpo tenta lidar com o excesso de açúcar”, diz o Dr. Smith. “Porque a insulina é um fator de crescimento, os níveis elevados de insulina representam uma ameaça potencial de câncer de mama porque parece estimular as células de câncer de mama para crescer e se reproduzir.”

A maneira mais direta de reduzir a exposição do corpo aos carboidratos que estão relacionados com o risco de câncer é adotar uma dieta contendo menos carboidratos e açúcares simples. No entanto, este é um desafio para muitas pessoas, especialmente aqueles que também estão tentando reduzir o consumo de proteínas e gorduras animais. Da mesma forma, você pode reduzir a exposição total aos carboidratos ao consumir uma dieta rica em fibras (que não é facilmente quebrada pelo intestino). Mas, novamente, as dietas ricas em fibras podem ser desagradáveis e desconfortáveis para muitas pessoas. Uma opção mais palatável e prática para reduzir a exposição de carboidratos é a utilização de nutrientes específicos que limitam ou desaceleram a digestão, o que, por sua vez, reduz os níveis de açúcar no sangue e níveis de insulina.

* Com informações do PR Newswire

 

Leia mais:

Tecnologia conecta crianças com câncer à família

Licopeno: saiba onde encontrar o superinimigo do câncer

Mudanças de hábitos previnem o câncer






ACESSE A EDIÇÃO DESTE MÊS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS