Venezuela: Nicolás Maduro obriga varejistas a mexer no preço

Em mais uma ação autoritária, o presidente da Venezuela anuncia que vai inspecionar todos comerciantes do país nesta sexta (25)

A escola de Hugo Chávez parece ter como seu melhor aluno o atual presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. O governante anunciou na manhã de hoje (23) em seu programa de rádio que na sexta começa uma nova inspeção a todos os comerciantes varejistas do país. Intuito é analisar se ?as margens de lucro definidas e os preços justos são respeitados?. 

De acordo com Maduro, milhares de inspetores irão investigar se a chamada Lei de Preços Justos está sendo cumprida. “Quem brincar com a lei vai se dar muito mal”, ameaçou. Segundo seu discurso, a fixação de preços ?tem como propósito proteger o povo?, informou a Agência Brasil. Estes valores, que segundo ele seriam desmedidos, estariam sendo os causadores da falta de alimentos para a população e inflação alta.

Protestos

A Venezuela vive um caos desde a primeira quinzena de fevereiro, quando começaram os protestos contra o governo de Nicolas Maduro. Milhares foram às ruas. Segundo a imprensa venezuelana, são mais de 40 mortos, 600 feridos e duas mil pessoas presas só neste período.

Figuras fortes da oposição ao governo são Henrique Capriles, Leopoldo López e Maria Corina Machado, da Mesa da Unidade Democrática. Corina teve o mandato cassado e López foi preso, acusado de liderar protestos violentos.

A população e os estudantes reclamam da falta de segurança, dizem que no país não tem sido respeitados os direitos universais e de expressão e que não há produtos suficientes nos mercados e lojas. A Venezuela tem uma das maiores taxas de homicídio do planeta ? 30 mil assassinatos por ano ? e a inflação que chegou a 56,2% no ano passado. Desde o início das manifestações, o governo brasileiro não comentou a situação do país vizinho.

Predestinado

O presidente chavista evoca fatos sobrenaturais para justificar seus atos e busca passar a imagem de que seu mandato é regido por forças superiores. Em campanha no começo do mês, Maduro disse que Chávez ? morto em março do ano passado ? teria surgido para ele na forma de um pássaro, abençoando sua eleição. 

No discurso, imitou o assovio da ave. Em outra ocasião, disse ainda que ?vê? Chávez nas montanhas de Caracas e que a imagem do seu antecessor teria aparecido nas obras de um metrô.

Partidários do presidente refutam a acusação de que não há liberdade civil, acusam os líderes da oposição de tentarem dar golpe de estado e de tentarem atrair forças militares estrangeiras para tomarem o país.




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS