Varejo paulistano alcança 1 milhão de trabalhadores registrados

Pesquisa divulgada no dia 25 indica que emprego formal volta a crescer no comércio da Grande São Paulo em fevereiro

A região metropolitana alcançou bons resultados no que se refere à mão-de-obra com carteira assinada neste ano. Depois de um janeiro ruim, quando mais de 12 mil postos de trabalho foram fechados, fevereiro terminou com um saldo de trabalhadores de 2.119.

Agora a Grande São Paulo tem 1.009.639 empregados registrados – aumento de 0,21% sobre janeiro. Já se comparado com fevereiro do ano passado, resultado é 0,98% maior, já que na época havia pouco mais de 999 mil trabalhadores formais.

O resultado ruim de janeiro só pôde ser comparado com o mesmo mês de 2008. Os números são da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio), com base nas informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Pesquisa foi divulgada hoje (25).

Dos dez segmentos avaliados pelo estudo, no comparativo mensal, apenas o de lojas de vestuário, tecidos e calçados teve retração do quadro de funcionários. Eletrodomésticos e eletrônicos mantiveram praticamente o mesmo número de contratados e todos os demais registraram taxas de crescimento acima da média do comércio em geral: farmácias e perfumarias, concessionárias de veículos, móveis e decoração, supermercados, autopeças e acessórios, outras atividades do varejo, materiais de construção e lojas de departamentos.




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS