B2W cresce por sete trimestres consecutivos

Companhia detentora das marcas Americanas.com, Submarino e Shoptime divulgou na última sexta-feira dados do 1° trimestre. Receita bruta foi de R$ 2 bi, crescimento de 30% em relação a 2013

Tempo de leitura: < 1 minuto

12 de maio de 2014

A B2W Companhia Digital realizou teleconferência na última sexta para divulgar o resultado do primeiro trimestre de 2014. A receita bruta no período foi de cerca de R$ 2 bilhões, crescimento de 30% em relação ao mesmo trimestre do ano passado.

Também foi registrado crescimento de 47% do EBITDA (que atingiu 109 milhões), 6,3% da receita liquida, expansão de 0,6%. Foi o 7° trimestre consecutivo em crescimento de venda. De acordo com o diretor de Relações com Investidores da B2W, Fábio Abrate, a companhia cresceu em patamares acima do mercado.

?Ganhamos marketshare e demonstramos consistência em estratégia nos indicadores, o que reflete as mudanças implementadas na Companhia nos últimos anos. Temos conseguido estar mais próximos dos clientes e oferecer a melhor experiência de compra?, disse.

Já a receita líquida da Americanas.com cresceu 10% nos primeiros quatro meses do ano. A receita bruta consolidada alcançou os R$ 3,9 bilhões. No mês passado, foi lançada a categoria de moda no site. O conceito é de ?moda para todos? ? democrática, pop e variada, acompanhando o calendário fashion.

Também foi lançada a venda online do Plano de Assistência para animais domésticos nos portais. Serviços incluem consultas de rotina, cirurgia, atendimento veterinário de emergência, entre outros.

Nos últimos doze meses, a receita bruta da B2W foi de R$ 7,4 bilhões, um crescimento de 28%. Em 30 de Abril, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou aumento de capital na B2W. Os recursos serão investidos em amortização de parte da dívida, aceleração do crescimento e melhoria na estrutura do capital. A companhia pretende inaugurar mais sete centros de distribuições até 2015.

Veja gráfico do crescimento da B2W nos últimos 7 trimestres:






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS