Brics cresce 3,5% este ano e 4% em 2015

Itens como inflação, estão no relatório Perspectivas Econômicas, da OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico) do bloco de países emergentes que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul

O bloco econômico de países emergentes, conhecido como Brics, que reúne o Brasil, a Rússia, Índia, China e África do Sul, deve crescer 3,5%, em média, este ano. A previsão para o ano de 2015 é de 4%, segundo previsões da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).

De acordo com as previsões feitas no relatório Perspectivas Econômicas, da OCDE, a China e a Índia destacam-se no Brics, com crescimento de 7,4% e 5,4%, respectivamente, mais que o dobro de qualquer um dos outros países que formam o grupo das chamadas economias emergentes, devido ao potencial que apresentam.

O relatório aponta que a China reduzirá ligeiramente o crescimento no próximo ano, para 7,3%, mas as outras economias vão acelerar o passo, sendo o Brasil o país que menos crescerá (2,2%).

O relatório mostra ainda que a média da inflação nos cinco países está em 5%, mas sobe para 7,25% se a China ficar fora das contas, o que "não é um valor particularmente baixo", dizem os analistas.

O grupo foi apresentado inicialmente como Bric pelo economista-chefe da Goldman Sachs, Jim O’Neil, no estudo Building Better Global Economic Bric, em 2001. Dez anos depois, foi incluída a África do Sul, passando a se chamar Brics. A organização representa cerca de 25% da riqueza mundial e, entre 2003 e 2007, foi responsável por 65% do crescimento global.

* Com informações da Agência Brasil

 

Leia mais:

Brasileiro é economicamente letárgico?

Peculiar, o brasileiro e suas idiossincrasias

 

 






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS