Google disponibiliza mapas internos de prédios

Com novo serviço, usuário pode acessar as plantas baixas de estádios, shoppping centers, teatros e aeroportos

Por: - 5 anos atrás

Para você que achava que o Google não tinha mais onde inventar, pois ele inventou. Agora, dentro do serviço Google Maps, você pode acessar o Indoor Maps e visualizar mapas internos ? as chamadas plantas baixas ? de locais públicos e privados.

Por enquanto, são dez mil lugares em todo o mundo. Do Brasil, estão disponíveis quase cem shopping centers, 15 aeroportos, o Teatro Municipal de São Paulo (na imagem, o primeiro andar do Municipal: os números de assento, local para cadeirante e banheiro) e onze estádios, incluindo alguns da Copa, recém-concluídos.

Nada melhor do que dar um tour pela moderníssima Arena Amazônia, em Manaus. É só buscar o estádio no Google Maps e aumentar normalmente o zoom. Depois, é usar o seletor de nível, no canto inferior direito, para se deslocar de andar em andar do edifício.

Muito útil para quem vai assistir ao jogo em algum estádio, dá pra saber exatamente onde ficam os banheiros, escadas e restaurantes. Já quanto aos shopping centers, o cliente pode ver com exatidão onde ficam as lojas e restaurantes. Aparece um índice dos andares disponíveis. Aí é só passear. Serviço também está disponível para smartphones.

No Aeroporto do Rio, o usuário vê todos os corredores, banheiros, cafés, salas especiais das empresas de voo e até as deliciosas cadeiras de massagem, ao lado das escadas. Mais que isso, em alguns países, qualquer pessoa pode adicionar a planta de um local público.

Para isso, basta fazer o upload da imagem e sincronizar na vista aérea do local. Assim, a empresa aposta no compartilhamento mútuo de plantas de prédios de todo o mundo, expandindo o serviço e melhorando a experiência de localização do planeta.

Se a localização não deu certo como deveria, avise o Google. É só pressionar e segurar onde o erro ocorre até que um endereço apareça em pop-up e clicar em informar um problema com o mapa.

 

Leia mais:

Google testa lente de contato que auxilia diabéticos

Fora sedentarismo: Google cria tênis “falante” que curte movimento