Residências puxaram a alta da energia em novembro

Consumo de energia dos brasileiros cresceu 3,3% no período, de acordo com pesquisa da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), divulgada ontem (6). O Sul foi a região do país com maior alta  

Foram as casas que apresentaram o maior aumento proporcional do consumo de energia no país em novembro, segundo relatório da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), integrante da resenha mensal do mercado de energia elétrica. A alta foi de 4,2%. 

O consumo nas residências chegou a 10.666 gigawatts-hora (GWh) em novembro, número 427 GWh superior ao registrado no mesmo mês de 2012. No total, aumento no consumo dos brasileiros chegou a 3,3% (tanto em comparação à novembro de 2012 quanto no acumulado de 2013). Foram consumidos 39.902 GWh. 

A indústria utilizou 15.761 GWh no mês de novembro. No acumulado do ano, foi o primeiro resultado positivo (alta de 0,1%). Em relação à novembro do ano passado, o consumo industrial de energia cresceu 1,8%. 

Entre as regiões do país, o Sul foi o que mais pesou na balança, já que todos os Estados da região apresentaram crescimento, seguida do Centro-Oeste, Norte e Sudeste. No Nordeste, o consumo foi menor que em novembro de 2012. No setor de comércio e serviços, o crescimento em novembro (4,8%) foi inferior ao registrado em igual período de 2012 (13,7%).

Em comunicado de Outubro, a EPE divulgou que hoje, as usinas hidrelétricas são responsáveis por 71% da energia consumida no país. A expectativa é que esse número caia para 65% até 2022. Em compensação, investimentos estão sendo feitos para que a participação da energia eólica salte de 1,5% (hoje) para 9,5% daqui dez anos.

A utilização de energia eólica causa menos danos ao meio ambiente. Se esse número de fato for alcançado ao longo dos próximos dez anos, a participação de fontes renováveis na capacidade instalada de geração elétrica no Sistema Interligado Nacional (SIN) crescerá de 83,8% em 2012 para 85,8%.




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS