Setor automotivo planeja retomada no 2° semestre

Mesmo com resultado ruim até junho, Anfavea acredita que o setor superou boa parte dos desafios

Associação Nacional de Fabricantes de Veículos (Anfavea) divulgou hoje (7) que o segundo semestre de 2014 será lembrado pela ?retomada do crescimento?. No primeiro semestre, foram produzidos 1,57 milhão de unidades contra 1,88 milhões no mesmo período de 2013 (-16,8%).

Mesmo com os números negativos, o presidente da Anfavea, Luiz Moan Yabiku Junior, não está pessimista. Para ele, boa parte dos desafios do primeiro semestre foi superada. “As turbulências que pairaram sobre o setor neste primeiro semestre estão sendo superadas e o viés agora é de crescimento. O acordo com a Argentina foi assinado e já está em vigor. As alíquotas do IPI foram mantidas até o fim do ano e as questões de financiamento pelo PSI foram resolvidas [relacionado à venda de veículos pesados]?, disse.

Já a Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) estima que a venda de veículos em 2014 será 7,5% menor que no ano passado. No início do ano, expectativa era que setor apresentasse queda de 3%. De janeiro a junho, 1,58 milhão de carros foram vendidos, queda de 7,33% sobre o 1° semestre de 2013.

Em junho, foram vendidos 263,6 mil carros contra 293,4 mil em maio (-10,2%) e 318,6 mil em junho de 2013 (-17,3%). No acumulado do ano, recuo foi de 7,6%: 1,6 milhão contra 1,8 milhão no mesmo período do ano passado. O total de exportações no ano foi 35,4% menor que o 1° semestre de 2013: 169,5 mil em 2014 sobre 262,3 mil carros em 2013. 

O desempenho ruim do setor traz consequências às montadoras. Como forma de tentar adequar sua produção à demanda, a unidade da General Motors de São José dos Campos (SP) deu férias coletivas por 16 dias para 5,3 mil funcionários nesta segunda (7). A mesma medida será adotada com os 3,4 mil funcionários da fábrica de Gravataí (RS) da marca, que ficarão parados por dez dias. Já a unidade de São Caetano do Sul (SP) deu férias até dia 22.

China

Enquanto o varejo em quase todo o mundo passa por fase de estagnação, a China continua na contramão do setor e apresenta índices crescentes para quase todos os segmentos do varejo. O setor automotivo é um desses contemplados. Montadoras alemãs como Mercedes Benz e Audi, a norte-americana Ford e a francesa Peugeot-Citröen anunciaram que suas vendas aumentaram no país.

A Mercedes divulgou que em junho, suas vendas na China cresceram 20% (135 mil carros entregues), números puxados pela venda dos seus modelos compactos. Já a Audi anunciou que a venda de carros no gigante asiático teve crescimento de 14% em junho, vendendo 50,7 mil esportivos. No acumulado do ano, foram 268 mil carros, aumento de 18%. 

As vendas da Ford também cresceram na China: 17% em junho. Foram vendidos 87 mil veículos no país, um aumento de 17% sobre um ano antes. A joint venture chinesa da montadora francesa Peugeot-Citröen vendeu 343 mil veículos nos primeiros seis meses do ano, aumento de 24% sobre um ano antes e elevou sua meta de vendas em 2014 de 650 mil para 700 mil por conta do forte desempenho no primeiro semestre. 

Entre os mercados mundiais, a China é o líder em vendas de veículos, seguida pelos Estados Unidos, Japão, Alemanha, Brasil, Índia, Grã Bretanha, Rússia, Canadá e França. De acordo com a Dow Jones, varejo chinês teve alta de 12,5% em maio em comparação ao mesmo mês do ano passado. Abril havia registrado crescimento de 11,9%.

Confira os gráficos da Anfavea:

Leia mais:

Movimento no comércio cai 3,2% em junho

Chinesa Alibaba chega ao mercado americano

China ultrapassa EUA na liderança do comércio global






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS