Lojistas esperam crescimento de 1% no Dia dos Pais

CNDL e SPC atribuem projeção tímida nas vendas à inflação e alta taxa de juros

A Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) divulgaram nesta quarta (23) projeção do aumento de vendas para o Dia dos Pais, comemorado no próximo dia 11. Segundo as entidades, crescimento será de 1%, inferior à expansão registrada nos últimos cinco anos.

Os resultados de vendas dos anos anteriores acompanham o desempenho da economia brasileira, que tem decrescido em cascata desde 2010. No ano passado, crescimento nas vendas dos comerciantes foi de 3,7%, em 2012 (4,7%), 2011 (6,8%) e em 2010, 10%.

Segundo as entidades, consumidor se portará de forma cautelosa em relação aos seus gastos por causa dos juros altos ? que encarecem o crédito e a inflação que ?corrói o salário do consumidor?, nas palavras do presidente da CNDL, Roque Pelizzaro Junior.

Os índices divulgados de anos anteriores levam em conta as vendas parceladas realizadas na semana que antecede o Dia dos Pais. Os setores que, tradicionalmente apresentam maior volume de vendas nesta data são vestuário, calçados, eletrônicos e perfumaria.

Já a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de São Paulo estima aumento de 5% nas vendas no varejo do Estado. No ano passado, incremento foi de 7%. O tíquete médio ficará entre R$ 200.

Os desafios do enfrentados pelo varejo na economia brasileira também serão discutidos no maior evento de varejo da América Latina, o Brazilian Retail Week, organizado pelo Grupo Padrão e que acontece nos dias 29 e 30 de julho, em São Paulo. Clique aqui e faça sua inscrição.

Leia mais:

Entidades se posicionam em relação à Selic

Movimento no comércio cai 3,2% em junho

Números do Dia dos Namorados podem ser modestos

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS