BRICS deve liderar crescimento automotivo nos próximos dez anos

43% dos entrevistados acreditam que o Brasil ultrapassará a marca de um milhão de exportações entre os próximos três e cinco anos. Soluções em mobilidade seriam diferenciais para o mercado

Os países emergentes, liderados por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul deverão ser os propulsores do mercado automotivo nos próximos dez anos. De acordo com a 15ª Pesquisa Global da Indústria Automotiva, realizada pela KPMG International, 85% dos participantes afirmam que o maior crescimento deste segmento até 2025 acontecerá no BRICS. Além disso, sete em cada dez montadoras esperam que o aumento das vendas dos próximos cinco anos venha desses países.
 

Força brasileira

Na pesquisa deste ano, os respondentes mostraram-se ainda mais otimistas em relação ao fato de os fabricantes do BRICS estarem aumentando o volume de exportação. Quarenta e três por cento dos participantes acreditam que o Brasil ultrapassará a marca de um milhão de exportações entre os próximos três e cinco anos; 38% dizem que essa marca será atingida entre seis e nove anos e 8% afirmam que em apenas dois anos o país exportará tal quantidade de automóveis.
 
Consumidores querem carros eficientes, duradouros e tecnológicos

Segundo 92% dos respondentes, a prioridade dos atuais compradores é um automóvel duradouro e que consuma pouco combustível. As mais recentes inovações no quesito segurança também continuam sendo um fator crítico para os consumidores, de acordo com 79% dos respondentes.

As preferências por tecnologias alternativas de combustível foram classificadas com menor importância. Contudo, ter um veículo que possua os recursos tecnológicos mais recentes é outra consideração importante feita pelos compradores.
 

Aumento nas vendas on-line

O futuro das revendas de automóveis causa controvérsias entre os respondentes. Um pouco mais da metade (53%) acredita que os modelos tradicionais de revendas de automóveis não funcionarão no futuro, e espera-se que os varejistas on-line e os fornecedores multimarcas cresçam de forma significativa.

Para 71% dos participantes da pesquisa, a importância do modelo on-line para as vendas de automóveis aumentará já em 2014. Curiosamente, somente 60% dos comerciantes que participaram da pesquisa sentem que este caminho terá sucesso, sugerindo uma relutância em reconhecer que as vendas através da internet estão em alta.

 

Novos negócios

O crescimento orgânico ultrapassou joint ventures e parcerias e tornou-se a estratégia de negócios preferida das montadoras.

Espera-se que veículos plug-in gerem a maior demanda, em comparação a qualquer outro veículo elétrico. Sessenta e nove por cento dos respondentes consideram que veículos de células de combustível são essenciais para o crescimento do mercado automotivo.
Apesar dessa segurança, a maioria dos investimentos das montadoras continuará a ser na redução do tamanho do motor de combustão interna, o que poderá atrasar os avanços em veículos elétricos, de acordo com a pesquisa.

Apenas os países do BRIC estão mais focados nas diversas formas de mobilidade elétrica tais como veículos híbridos plug-in e veículos 100% eletrificados movidos à bateria.

Diante do crescimento da população mundial, os padrões de uso e de propriedade de veículos estão mudando, e soluções de mobilidade, como o compartilhamento do carro, estão tornando-se cada vez mais populares .

Aproximadamente metade dos respondentes sente que as soluções de mobilidade podem ser lucrativas ao longo dos próximos cinco anos.

 

Leia mais:

Brasil terá menor crescimento entre países do BRICS em 2014

Economia brasileira cresce mais que norte-americana

Brasil sobe cinco posições em ranking de competitividade global






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS