Conveniência: convertendo interesse em vendas

Ouvimos muito sobre multicanalidade, omnichannel, 24×7, fidelização e engajamento do cliente… mas a questão é: O que você, varejista, pode fazer para ser mais oportuno para o consumidor? Acredito que a conveniência ditará todas as estratégias de sucesso no varejo e, seguramente, ela está muito ligada ao pagamento móvel. Se considerarmos os avanços da internet, da infraestrutura de rede, da integração entre bandeiras de cartão e fabricantes de celular – como é o caso da Apple -, ou apenas a possibilidade de se realizar um pagamento seguro e simples pelo smartphone via app, veremos uma revolução na forma de consumir – assim como foi a chegada da própria internet para os negócios.

Que o smartphone transformou nossas relações sociais e de consumo isso não é mais novidade. Atrelado a ele a conveniência se torna a chave para o sucesso de qualquer negócio em mobile. Uber e Easy Taxi são apenas alguns exemplos de como a conveniência pode ser rentável.

Nesse cenário, a próxima fronteira com certeza está sendo desenhada pelo pagamento móvel (Mobile Payment). Evidente, quem é que gosta de enfrentar fila na hora de pagar? Eu mesmo já desisti de uma compra pela quantidade de pessoas no caixa.

Lojas cheias e consumidores utilizando seus smartphones para pesquisa e consulta de preços já virou até propaganda. Agora, dezenas de pessoas realizando suas compras numa loja física, pagando por meio do celular e saindo do estabelecimento sem enfrentar um engarrafamento nos caixas é uma situação inusitada – ainda. O Gartner prevê que deveremos ter um crescimento anual de 35% no volume global e no valor das transações móveis até 2017. De acordo com a Visa, até 2020, metade das transações será realizada por meio de dispositivos móveis.

A Apple já deus sinais que entendeu o jogo. Recentemente ela lançou o ApplePay, um sistema de pagamento incorporado aos novos aparelhos da marca com tecnologia NFC (near-field communication) embutida. A novidade promete agilidade e segurança, onde as informações de pagamento são armazenadas e criptografadas por um recurso que a Apple chama de Secure Element.

A parceria com grandes bandeiras de cartão de crédito, como Visa, MasterCard e American Express, simplifica as operações de pagamento e o sistema “sem contato” (touchless) traz facilidade de uso e conforto. Whole Foods, McDonald?s e Disney já anunciaram que adotarão a tecnologia (que já está presente em mais de 220.000 estabelecimentos nos Estados Unidos).

A Britânica Harris+Hoole também vê o pagamento móvel como vantagem para seus negócios e, claro, para o seu cliente. Para consumir seu café em suas lojas o cliente paga diretamente pelo celular, no aplicativo da marca, e retira a bebida no balcão. Ouvimos muito sobre multicanalidade, omnichannel, 24×7, fidelização e engajamento do cliente… mas a questão é: O que você, varejista, pode fazer para ser mais oportuno para o consumidor?

Particularmente, acredito que a conveniência ditará todas as estratégias de sucesso no varejo e, seguramente, ela está muito ligada ao pagamento móvel. Se considerarmos os avanços da internet, da infraestrutura de rede, da integração entre bandeiras de cartão e fabricantes de celular – como é o caso da Apple -, ou apenas a possibilidade de se realizar um pagamento seguro e simples pelo smartphone via app, veremos uma revolução na forma de consumir – assim como foi a chegada da própria internet para os negócios.

São movimentos disruptivos e como tais trazem dúvidas e insegurança. Mas a tecnologia e a informação estão aí para acelerar e superar essa curva de aprendizado e adoção, uma vez que a necessidade de facilitar a vida do cliente é mandatória para o sucesso de qualquer empresa hoje.

Juntamente com o Shopper (pessoa que avalia, durante o ato da compra, onde, como e o que comprar de maneira mais assertiva) o Mobile Payment fecha o ciclo da jornada moderna de consumo. Ele passa a ser o impulsionador dessa almejada conveniência no momento de maior desafio para qualquer negócio: converter interesse em vendas.

*Editor-Assistente de Plataformas de Conteúdo no Grupo Padrão




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS