Consumidor e Comportamento – ONLIFE MANAGEMENT

A vida num ambiente que é um misto de on-line e off-line (digital e físico) traz desafios particulares. Sim, é um fenômeno global. Mas ele está tomando seu próprio caminho na América Latina. Agora, latino-americanos conectados esperam soluções inovadoras e eficazes que os ajudem a gerenciar, controlar, filtrar e formar sua relação com a conectividade. Três direções para ONLIFE MANAGEMENT em 2014 e para o futuro.


1. EQUILÍBRIO NA CONEXÃO

As conexões de Wi-Fi estão em (quase) todos os lugares, acompanhadas de uma banda larga cada vez mais rápida ? mas são as conexões móveis que dão gás à hiperconectividade 24 horas da região. Não é de se admirar que mais consumidores latino-americanos estejam adotando ferramentas e serviços que ajudam a administrar seu tempo conectado sem deixar de lado as outras demandas do dia a dia.

Marca brasileira de cerveja usa cooler para bloquear sinais de celular Lançado pela marca brasileira de cerveja Polar, o Anulador de Celular é um cooler desenhado para bloquear sinais de celular, incluindo 3G, 4G e conexões de wifi. Os coolers especiais foram distribuídos em bares selecionados pelo Brasil em agosto de 2013, com o objetivo de encorajar os clientes a deixar seus celulares de lado e conversar com os amigos.

Bar de tapas renomeia roteadores de Wi-Fi para desestimular o uso da internet no restaurante em São Paulo Em maio de 2013, o bar de tapas ¡Venga! em São Paulo mudou todos os roteadores de Wi-Fi para que formassem uma mensagem para os comensais. Os responsáveis pelo estabelecimento estavam frustrados ao ver os clientes perguntando assim que entravam: ?Qual a senha do Wi-Fi??. Eles renomearam os roteadores para que quando uma pessoa tentasse entrar na rede de Wi-Fi visse uma frase como ?Aproveite o momento!? ou ?Deixe o telefone pra lá!?.

2. SEGURANÇA VIRTUAL

Enquanto a preocupação com o vazamento de dados por marcas, hackers e governos é global, para alguns latino-americanos que ainda se lembram dos tempos em que governos autoritários espionavam os próprios cidadãos, a preocupação com a segurança de dados e privacidade é particularmente aguda. Em segundo lugar, muitos consumidores estão conscientes do papel que o espaço on-line pode ter em aumentar outros perigos que já existem na região. Um exemplo? A ameaça de quadrilhas que se baseiam em informações e fotos de crianças postadas na internet para escolher alvos de sequestros. Agora, os latino-americanos querem se proteger: de anunciantes que querem seus dados, da espionagem do governo e dos criminosos.

Marco Civil da Internet

Em abril de 2014, o governo brasileiro aprovou o Marco Civil da Internet, uma estrutura inovadora de direitos civis para a internet. Criado pelo Ministério da Justiça e pelo Centro de Tecnologia & Sociedade da Fundação Getúlio Vargas do Rio, o Marco Civil define parâmetros sobre o direito de acesso à internet, a proteção da privacidade, o governo aberto e a neutralidade da rede. As novas regras também declaram que o governo é responsável pela educação e pelo treinamento dos cidadãos para aumentar a educação digital e inclusão.

Google e ONGs regionais lançam campanha para educar adolescentes sobre tecnologia

Em maio de 2014, o Google América Latina e as organizações sem fins lucrativos RedNATIC e Save the Children lançaram o Todo a 1 Clic, uma campanha para educar adolescentes das Américas do Sul e Central sobre os riscos presentes na tecnologia de informação e de comunicações. O projeto realiza fóruns com jovens de todos os países envolvidos e compartilha um vídeo de animação em que adolescentes são mostrados cometendo alguns dos erros mais comuns, tais como o envio público de fotos, participação em cyber bullying ou usando computadores sem supervisão.

3. NETIQUETA 2.0

?Netiqueta? pode ter sido uma palavra da moda lá dos anos 1990, mas a hiperconectividade e a quantidade de novas plataformas trouxeram novas questões a esta nova etiqueta (para a qual se tem respostas específicas para cada parte do mundo):

?Meus filhos deveriam desligar seus telefones no jantar??

?Eu devo ou não publicar fotos do meu bebê na internet??

?Posso tirar uma selfie no banheiro??

E agora há questões legais a serem consideradas.

Não é de se admirar que os consumidores das Américas do Sul e Central estão olhando para as marcas para ajudá-los a navegar no campo minado que são as boas maneiras on-line.

Website brasileiro ensina bom comportamento nas redes sociais

Peixe Morre pela Boca é um site interativo que ensina bom comportamento nas redes sociais. Os visitantes usam o cursor para ?pescar? um peixe enquanto o cardume nada. Ao clicar num peixe, aparece uma mensagem como ?Compartilhar não é pensar? ou ?Mais portraits, menos selfies?. O site foi criado com a missão de encorajar as pessoas a pensarem mais sobre o que postam on-line.

Guaraná Antarctica: The Post Brothers

Em janeiro de 2014, a marca brasileira de refrigerantes Guaraná Antarctica lançou o The Post Brothers: um aplicativo de Facebook que permite aos usuários conferir com seus amigos se eles acham que um vídeo é legal o suficiente para ser postado publicamente numa rede social. Por meio do aplicativo, os usuários podem compartilhar o conteúdo (de forma oculta) com três amigos que avaliam a receptividade ao material.

E O QUE FAZER?

Então onde é que a demanda crescente por Onlife Management está impulsionando os consumidores, e como as marcas devem responder a isso?

Educação

Há espaço de sobra para as marcas que desejam tornar a vida dos pais mais fácil, e menos estressante, por meio de campanhas ou jogos que ensinam como ter um comportamento on-line seguro e responsável.

REDES DENTRO DAS REDES

Mais e mais, os consumidores irão querer administrar seu comportamento on-line e em redes sociais públicas (ou semipúblicas), mas que tal espaços on-line realmente privados? A liberdade que foi conquistada em aplicativos de mensagem instantânea pode ser levada mais longe? E o que acontece com o anonimato digital enquanto os limites entre on-line e off-line tornam-se cada vez mais tênues?

SYNCED SERVICES

Os consumidores vão adotar dispositivos e redes sociais que tenham (a opção de) gestão de comportamento. De casas inteligentes (jardins, carros e escritórios) a gadgets de vestir, as possibilidades para instruções de etiqueta e toques de novas plataformas tecnológicas são infinitas.




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS