De dieta a estresse: causas e efeitos da desidratação

Dietas de baixo carboidrato, suplementos alimentares e até alguns remédios podem baixar o nível de líquido do corpo. E essa queda pode causar desde cãimbras a perda de memória

O corpo humano é constituído por 60% de água. Perder até 1,5% disso, considerada uma hidratação leve, significa mudanças de humor, níveis de energia e até das funções cognitivas. E embora existam razões óbvias para você ficar desidratado, como um dia ensolarado, exercícios ou não ingerir líquidos o suficiente, existem razões menos conhecidas que desencadeiam o quadro.

A falta de água no corpo, por sua vez, pode ser a causa de dores e doenças que jamais se imaginaria que fossem desencadeadas por ela, como enxaquecas, dores na coluna, cãimbras. Ainda mais, uma desidratação imperceptível retardará o metabolismo em aproximadamente 3%. Um copo de água aliviará a fome à meia noite, em quase 100% dos casos, sob dieta redutora, segundo um estudo realizado na Universidade de Washington.

Uma redução de somente 2% de água no corpo pode causar perda momentânea de memória, dificuldade em fazer contas matemáticas básicas e problemas de focar a visão sobre uma tela de computador ou sobre uma página impressa?

Veja 14 causas comuns de desidratação, listadas pelo site do jornal Huffington Post.

Diabetes
Pessoas com diabetes, especialmente as que não sabem que têm a doença, têm um risco aumentado de desidratação. Isso porque os níveis de açúcar no sangue são muito altos, e o corpo tenta livrar-se deste excesso de açúcar por meio de um aumento de produção de urina. Se você se enquadra neste grupo, é importante consultar um médico para melhorar o controle do açúcar no sangue.

Período menstrual

O estrogênio e a progesterona influenciam os níveis de hidratação do corpo, por isso, durante o período menstrual é importante aumentar o consumo de água. Além disso, para algumas mulheres que têm fluxo longo e pesado, a quantidade de sangue perdida é suficiente para reduzir os níveis de fluidos. Se você é do tipo que trocar de absorvente a mais do que uma vez a cada duas horas, converse com o seu ginecologista.

Prescrições médicas

Cheque a lista de efeitos colaterais de sua prescrição médica. Muitos medicamentos agem como diuréticos, aumentando a saída de urina e o risco de desidratação. Remédios para pressão sanguínea são um bom exemplo. Além disso, qualquer medicamento que liste diarreia ou vômito como potencial efeito colateral pode acarretar o efeito.

Dietas de baixo carboidrato
Carboidratos são armazenados no corpo junto com os líquidos, por isso, o corpo elimina água ao eliminar carboidrato. Além disso, carboidratos como aveia, massas integrais e arroz marrom absorvem água durante o processo de cozimento. Então o ato de comê-los aumenta os níveis de hidratação, e ao mesmo tempo cortá-los reduz o consumo de líquido.

Estresse

Quando as glândulas suprarrenais bombeiam os hormônios do estresse. E se você está constantemente sob pressão, eventualmente estas glândulas ficam esgotadas, causando uma insuficiência adrenal. O problema é que estas glândulas também produzem o hormônio aldosterona, que ajuda a regular os níveis de líquido do corpo. Então se as glândulas estão esgotados, a produção deste hormônio cai, desencadeando a desidratação.

Síndrome do cólon irritável
Os sintomas desta síndrome incluem náusea e diarreia crônica, que causam desidratação. Além disso, muitas pessoas que sofrem com estas condições acabam tirando da dieta alimentos que acreditam ser o gatilho. Mas é importante não retirar alimentos ricos em líquido para não desencadear o quadro.

Treino

Pode-se imaginar que somente os atletas de alto desempenho correm o risco de desidratar, mas qualquer exercício vai fazer você suar. Tente pesar na balança imediatamente depois de treinar e vai ver que perdeu alguma coisa, provavelmente, água. Por isso, reponha rapidamente para não ficar desidratado.

Envelhecimento
Com a idade, a capacidade do corpo de conservar água diminui, bem como a sensação de sede. Com isso, é mais fácil ficar desidratado e é mais difícil verificar quando a taxa de líquido está baixa. Se você tem problemas para se lembrar de beber água, tente manter uma garrafa perto de você e faça o controle diário do quanto consumiu no dia.

Suplementos alimentares
Alguns suplementos podem aumentar a produção de urina, como os que levam salsa, sementes de aipo, dente de leão e agrião. Se você está pensando em tomar algum, é melhor falar com um nutricionista antes.

Altas atitudes

Quando você viaja para lugares localizados em altas altitudes, o seu corpo se acostuma a acelerar a respiração e a aumentar a saída de urina. Enquanto ambos são necessários para um ajuste saudável a estes níveis de oxigênio, fazer muito xixi e ficar ofegante são causadores da desisdratação.

Beber álcool

Mesmo um simples e comportado happy hour, sem muita bebedeira, pode diminuir os níveis de líquidos do corpo. Isso porque beber faz com que você vá ao banheiro. Graças ao efeito diurético do álcool, as células encolhem, empurrando mais água para a bexiga.

Comer poucas frutas e vegetais
Encha metade do seu prato a cada refeição com itens que podem garantir líquido extra ao final do dia. Em outras palavras: se você não cumpre a meta diária de cinco porções de frutas e vegetais por dia, tente tomar mais água.

Amamentação

Amamentar significa transferir água, junto com proteínas, minerais e outros ingredientes ? da mãe para o bebê. Com isso, obviamente os níveis de líquido no corpo caem.

* Com informações do SIS Saúde
 






MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS Prêmio Consumidor Moderno

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS