25% das startups morrem após um ano

Segundo dados da FDC, metade das empresas nascentes não passam de 4 anos

Pesquisa divulgada hoje (08) pela Fundação Dom Cabral, com 221 startups e seus fundadores, mostra que 25% das startups brasileiras morrem antes de complementar e metade, 50%, delas não passa de quatro anos.

Além de mostrar a taxa, o estudo também avaliou os motivos desse cenário e três fatores se destacaram: número de sócios, volume de capital investido na startup antes do início das vendas e local de instalação.

O primeiro fator eleva e muito a morte da empresa. Segundo o estudo, a cada sócio a mais que trabalha em tempo integral na empresa, a chance de descontinuidade aumenta em 1,24 vez.

“Muitas vezes, os interesses pessoais e profissionais dos sócios não convergem, resultando em problemas de relacionamento, além da incapacidade de adaptação de muitos deles às necessidades e mudanças do mercado”, disse, em nota, o coordenador do Núcleo de Inovação da FDC e responsável pela pesquisa, Carlos Arruda.

Com relação ao capital, Arruda afirma que “investir grande quantidade de recursos na startup antes de ela começar a faturar aumenta as chances de insucesso”.

A pesquisa mostra que o cenário mais preocupante é o de startups cujo capital investido cobre os custos operacionais pelo período de 2 meses a um ano – elas são 3,2 vezes mais suscetíveis de desaparecer do que as companhias com capital suficiente para cobrir os custos por um mês e 2,5 vezes mais suscetíveis do que as com capital para cobrir os custos por mais de um ano de operação.

Já o fator localização mostra que se a empresa está em uma aceleradora, incubadora ou parque, a chance de morte é 3,45 vezes menor em relação às startups instaladas em escritório próprio ou sala/loja alugada.

Leia mais 

Pedidos de falências crescem 16% em setembro

Zara pede ajuda do Alibaba para e-commerce

Inadimplência das empresas cresce 5,5% em agosto






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS