O marketplace, segundo o consumidor

Pesquisa exclusiva da Officina Sophia Retail mostra as vantagens e desvantagens do marketplace, segundo os consumidores

O comércio eletrônico faturou R$ 28,8 bilhões no ano passado, um crescimento de 28% em relação a 2012, e deve continuar a crescer neste ano, ainda que forma menos acelerada. A estimativa é que o setor cresça cerca de 20% e atinja um valor de R$ 34,6 bilhões.

Este volume tem relação direta às novas demandas dos consumidores, que buscam por acesso mais rápido ao produto que precisam ou desejam e querem, cada vez mais, conveniência. Não é à toa que cerca de 9 milhões de pessoas fizeram a primeira compra online no ano passado.

Essa busca por facilidades se estende dentro do próprio ambiente online e, com isso, pipocam a quantidade de marketplaces no mercado – aqueles sites que possuem diversos marcas e produtos no mesmo ambiente – facilitando a pesquisa por preço e por item e elevando as chances de conversão de vendas.

O negócio é tão promissor que até grandes empresas de varejo apostam no setor. Uma delas é a CNova, que traz para o Brasil o Cdiscount, famoso marketplace com forte atuação na França. Com descontos agressivos por estoque, o site já começa com mix de 50 mil itens.

Há ainda empresas que mudaram um pouco a estratégia, sem sair do esquema de marketplace. É o caso do Groupon, que saiu em definitivo da plataforma de compras coletivas, e aposta nas ofertas locais, de olho no crescimento do mobile. E, de novo, nas demandas dos consumidores por mais conveniência e, agora, persononalização.

Como é possível perceber, as mudanças nos negócios dançam ao sabor do que o cara que está na frente da tela quer. E para entender este comportamento, a Officina Sophia Retail entrevistou 593 consumidores para entender, dentre outros pontos, a visão desse consumidor sobre marketplace.

Eles elencaram as vantagens e desvantagens do espaço e a maior vantagem do espaço é, para 48%, a comparação de preços e produtos em um só lugar. Mas há um grande potencial de investimento, porque para 18% dos consumidores, a navegabilidade confusa é a principal desvantagem.

Confira no infográfico a seguir, os resultados da pesquisa exclusiva. E na revista NOVAREJO, edição 37, veja o perfil do e-shopper e o comportamento dele quando o assunto é compra online.

Infográfico: Fernanda Pelizon / Conhecimento e Conteúdo Grupo Padrão

Leia mais

Groupon lança plataforma de e-commerce local

Nova Pontocom aumenta vendas em 36,5%

Varejo se prepara para Internet das Coisas




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS