Consumidor ainda não sabe como reciclar

Fernando von Zuben, da Tetra Pak, constatou que em pleno século XXI o consumidor ainda não sabe adotar hábitos sustentáveis.

Não é de hoje que se discute a importância de a indústria, o governo e varejo se unirem em prol da informação clara e simples aos consumidores. Isso porque não basta vender um produto sustentável sem explicar porque ele o é e/ou o que fazer com a embalagem no pós-consumo.

Acredite ou não, para o consumidor o trabalho da Tetra Pak é sempre uma novidade. Isso porque, segundo Fernando von Zuben, Diretor de Meio Ambiente da empresa, a comunicação com o cliente final ainda é defasada. “O consumidor quer fazer alguma coisa, mas não sabe como [reciclar, reaproveitar, compostar], ele se sente bem. Porém, cabe ao governo e à indústria ensiná-los a ter essas ações”.

Um exemplo de ação da companhia é o projeto Cuidando do Futuro. O objetivo é formar líderes que possam gerir com sucesso e de forma sustentável as cooperativas de triagem de materiais recicláveis espalhadas pelo país.

“Cada produto tem seu impacto ambiental e ele pode ser analisado. A ideia da Tetra Pak é colocar produtos novos no mercado com impacto inferior àquele que está substituindo. A Klabin, [por exemplo] que fornece papel para nós, diminuiu, em 30 anos, mais de 66% o uso de água em seus processos. Além disso, a empresa trata e devolve a água no rio Itajai”, conta Fernando.

Em abril, a Tetra Pak anunciou o uso do polietileno de baixa densidade (PEBD). O polietileno verde é produzido pela Braskem e provém da cana de açúcar. Além disso, as tampinhas das caixas de bebidas da Nestlé, também são de plástico verde. “Queremos que toda matéria prima seja renovavel até 2020. 75% dos materiais das embalagens e 100% da energia utilizada pela empresa vem de fontes renováveis – selo FSC”, comenta Fernando.
A empresa trabalha com 600 cooperativas de lixo no país, realizando a coleta seletiva com treinamentos. Tem também o projeto de cultrua ambiental em escolas, proteção de florestas e biodiversidade, e, no ano passado, 71,000 toneladas de material foram recicladas. “Reciclar gera emprego, rende desenvolvimento industrial e diminui o impacto ambiental”, finaliza Fernando.




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS