Medidas simples aumentam motivação do colaborador

Diretor corporativo da Hays dá exemplo na prática de como medidas simples podem contribuir para aumentar o índice de envolvimento dos funcionários

Mediados pelo presidente do Grupo Empreenda, César Sousa, profissionais de grandes marcas do país debateram sobre como é possível aprimorar a experiência do cliente a partir de uma cultura de engajamento. Para Sousa, as coisas começaram a ficar ruins para as empresas quando o marketing e o RH se distanciaram. “Dentro de qualquer empresa esses setores têm que andar de mãos dadas sempre. Quando um virou as costas para o outro, foi que as relações com o cliente começaram a se degradar”, acredita.

Para a diretora de RH e sustentabilidade da Nivea, Mônica Longo, o cenário de hipercompetitividade vivido atualmente obriga os CEOs a entregarem três coisas: ?excelência operacional, inovação e ethos ? o significado do negócio?. ?Já ficou provado que a média de colaboradores que fazem a diferença nas empresas não passa de 5%. Cabe aos diretores cuidar desses funcionários para que eles encantem nossos clientes?, acredita.

A diretora executiva de RH da Atento, Majo Campos diz que definir engajamento não é simplesmente detectar se o funcionário está satisfeito. ?Ele pode continuar fazendo o seu trabalho satisfeito em outra empresa. Então a métrica correta é se a sua companhia tem um propósito claro para que, mais do que tudo, o funcionário não queira sair dali?, explica.

O diretor corporativo da Hays, Rodrigo Soares de Carvalho ressalta que disponibilizar publicamente os preceitos da empresa como ?missão, visão e valores? é essencial. ?Quando o funcionário sabe qual a ideologia de onde trabalha, fica mais fácil o engajamento e isso vai se refletir diretamente no atendimento ao cliente?, acrescenta.

Diretor de RH da AeC, Warney de Araujo Silva acredita que fica mais fácil implantar o engajamento dentro de uma empresa se partirmos do princípio que somos todos iguais. Durante a exposição de seu ponto de vista, Silva propôs uma interação com a plateia do Conarec e questionou: ?Quem aqui gosta de ser reconhecido?? ?Quem aqui gosta de ser elogiado?? e ?Quem aqui gosta de ser humilhado?.

Prosseguindo com seu raciocínio, o diretor teceu elogios a uma colega sua de profissão que também estava na plateia, com a qual disse ter trabalhado em outra empresa. Depois, pediu para a organização do evento que levasse o microfone até ela e perguntou o que ela havia achado do reconhecimento público que ele acabara de fazer. ?Causou-me um sentimento de satisfação e pertencimento?, respondeu, provando como até mesmo as atitudes mais singelas podem ser extremamente eficientes para alcançar o engajamento dos colaboradores.

* Acompanhe a cobertura completa do Congresso Nacional das Relações Empresa-Cliente nas redes sociais sob a hashtag #Conarec.

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS