Varejistas devem incentivar vida saudável

90% dos brasileiros atribuem responsabilidade ao varejo, índice superior ao dos EUA e Reino Unido

Estudo da Dunnhumby divulgado nesta semana coloca o Brasil como um mercado promissor para os produtos que contribuem para uma vida saudável.

Segundo a consultoria britânica especializada em ciência do consumidor, 90% dos entrevistados consideram que a indústria e os varejistas devem ser os primeiros a incentivar um estilo de vida mais saudável em seus clientes.

Nos Estados Unidos e Reino Unido, a porcentagem de consumidores que pensam dessa forma é menor: 58% e 59%, respectivamente. Desde 2009, este mercado teve um crescimento de 38% em todo o mundo e deverá movimentar R$ 40 bilhões em 2014.

De acordo com o estudo, 79% dos brasileiros classificam saúde e nutrição como uma prioridade em suas vidas e 89% consideram importante sempre consumir refeições balanceadas.

Uma das principais motivações para a busca de um estilo de vida saudável é o controle obesidade, que afeta 19% da população brasileira, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde. Por isso, nos últimos seis meses, 39% dos brasileiros fizeram algum tipo de dieta.

Uma dica interessante para o varejo é que, no momento de escolher os produtos, as marcas próprias dos supermercados são consideradas tão boas quanto as grandes marcas nacionais por 54% da população.

E é justamente a qualidade o principal fator que influencia a decisão de compra no Brasil, resposta dada por 70% dos entrevistados no País.

Outras descobertas importantes são que 68% dos entrevistados gostam de encontrar ideias para refeições quando estão passeando no supermercados, 80% consideram a comida mais saudável aquela que é feita em casa e 32% consideram a praticidade mais importante que preço.

Leia mais:

Os planos de Wizard para a Mundo Verde

População acima do peso pode ser oportunidade para o mercado

Ibope divulga pesquisa com hábitos de consumo da mulher brasileira






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS