Intenção de compra cai para o menor nível

Índice da CNC mostra quedas no mês e no ano. Com isso, alta nas vendas em 2014 deve ficar em 3%

A intenção de consumo das famílias registrou queda de 0,9% em dezembro, frente a novembro, e de 7,7% em relação a dezembro de 2013, chegando a 119,5 pontos, segundo pesquisa divulgada hoje (16) pela Confederação Nacional do Comércio.

O índice abaixo de 100 pontos indica uma percepção de insatisfação, enquanto o acima de 100 (com limite de 200 pontos) indica o grau de satisfação em termos de seu emprego, renda e capacidade de consumo.

Com isso, a previsão da Divisão Econômica da CNC é que o volume de vendas do varejo obtenha um crescimento ao redor de 3,1% em 2014.

Considerando os indicadores do índice, o momento para duráveis é o que se destaca, pois apresentou, novamente, o menor valor da série histórica, com queda de 16,9%, na comparação anual, e de 3,4% na comparação mensal, chegando a 98,1 pontos ? abaixo, portanto, da zona de indiferença.

Segundo a Confederação, a taxa de juros para o consumidor, que está em 44% ao ano, encareceu empréstimos e diminuiu a disposição para aquisição de duráveis. O aumento de inflação também influenciou na queda da intenção de compra.

As famílias com renda de até dez salários mínimos registraram queda de 3% no quesito Momento para Duráveis na comparação mensal, enquanto aquelas com renda acima de dez salários mínimos apresentaram redução de 4,9%. Regionalmente, esse indicador variou de 132,2 pontos (Sul) a 68,4 pontos (Norte).

O componente Nível de Consumo Atual, por sua vez, registrou queda de 1,8% em relação ao mês anterior e de 8,1% no comparativo anual. O índice está em 99 pontos ? abaixo da zona de indiferença, o que indica início de um patamar desfavorável.

Segundo a CNC, o elevado custo do crédito e o alto nível de endividamento ainda são os motivadores do desaquecimento na intenção de compras a prazo. O componente Acesso ao Crédito registrou elevação de 0,6% na variação mensal ? depois de ter apresentado o menor nível da série no mês anterior.

A pesquisa mostrou, também, piora nas perspectivas de consumo. O indicador mostrou queda de 2,7% neste item, frente a novembro, e de 11%, na comparação com dezembro de 2013.

Na comparação mensal, as famílias com renda até dez salários mínimos mostraram queda de 2,5%, e aquelas com renda acima de dez salários, elevação de 4,4%.

Leia mais

Inadimplência das empresas cai 3,3% em novembro

Franchising cresce 9,3% no 3º trimestre

Varejo brasileiro cresce 1,8% em outubro, diz IBGE




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS