Facebook e Twitter: quem pode mais na batalha dos números?

O Facebook e o Twitter lançaram uma enxurrada de dados, mapas especiais e animações nesta segunda-feira para reivindicarem o título de rede social mais popular para os espectadores que assistiram ao Super Bowl, mas foi difícil escolher um vencedor

O Facebook, maior rede social do mundo, anunciou que 65 milhões de pessoas conversaram em seu serviço sobre o jogo que viu o New England Patriots ganhar do Seattle Seahawks por 28-24, 30 por cento acima do ano anterior. O Facebook ainda divulgou uma nova métrica: o de “pessoas por minuto” que participaram nos momentos mais intensos do jogo.

O Twitter se recusou a prover o número de usuários em seu serviço durante o jogo, mas divulgou que o número de 28,4 milhões de tweets relacionados ao jogo, comparados com 24,9 milhões durante a disputa entre Seahawks e Denver Broncos no ano anterior.

A batalha das estatísticas destaca a dura competição entre os serviços de Internet para estabelecerem-se como a “segunda tela” para grandes eventos, do Super Bowl ao Oscar, e para capturar uma grande fatia de dólares de publicidade de marcas de que acompanham tais eventos.

“Costumava ser tudo sobre ter este incrível comercial no Super Bowl”, disse a diretora de marca digital da PepsiCo, Linda Lagos. Agora, diz ela, “você não pode ter uma campanha sem mídias sociais”.

Lagos recusou-se a dizer qual plataforma a Pepsi preferiu, mas disse que a companhia se considerou uma vencedora porque 94 por cento dos comentários nas mídias sociais sobre a Pepsi e o Super Bowl foram positivos.

O Twitter, que tem cerca de 20 por cento dos usuários que o Facebook tem, tem sido tradicionalmente o lugar dominante para conversas online em tempo real. O Facebook, maior rede social do mundo, está tentando cada vez mais atrair conversas em tempo real para seu serviço.

O Facebook poderia ser “o rei do tempo real” se fosse apto para destacar imediatamente reações a eventos”, disse o analista do Gartner, Brian Blau. “Eu não acho que eles já chegaram lá”.

O Facebook observou que 676 mil pessoas por minuto comentaram ou gostaram dos comentários de alguém depois da interceptação de Malcolm Butler, do New England Patriot, que selou a vitória de seu time. No Twitter, a mesma jogada gerou uma onda de 395 mil tweets por segundo, tornando-se o momento mais twitado no jogo.

* Com informações da Reuters

 

Leia mais:

Estudo aponta impacto do Facebook na economia brasileira e no mundo

Vício em redes sociais deixa as pessoas estressadas?

Computadores identificam personalidade por ‘curtidas’ no Facebook

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Quanto custa abrir uma franquia de varejo no Brasil?

Home office é tendência de trabalho para 2020: veja 5 dicas

“Parasita”: Pessoas, baratas, parasitas e a diluição da identidade

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

Quais são as tendências para 2020. Veja a lista

VEJA MAIS