Comércio ajusta estoques esperando vendas fracas

Índice da FecomercioSP mostra que houve queda na percepção de estoque por parte dos empresários

Os empresários do comércio começam a adequar seus estoques à nova realidade conjuntural, segundo mostra indicador de estoques divulgado hoje (24) pela FecomercioSP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo).

O Índice de Estoques registrou queda de 0,4% em fevereiro, na comparação com janeiro, e alcançou 106,9 pontos. O número capta a percepção dos comerciantes sobre o volume de mercadorias estocadas nas lojas e varia de zero (inadequação total) a 200 pontos (adequação total). A marca dos cem pontos é o limite entre inadequação e adequação.

Segundo a Federação, a diferença entre estoques altos e baixos está se reduzindo, mesmo com as vendas desaquecidas – isso significa que o empresário está se adaptando à nova realidade. Ou seja, o comércio está ajustando os seus estoques pois já estavam cientes e preparados para vendas mais fracas.

Já são três meses seguidos de redução dessa distância, que ainda está acima da média história (por volta de 11 pontos), mas parece caminhar para esse patamar. “De fato, o pior momento de elevada estocagem está se dissipando, mas ainda é preciso alguns meses de continuidade desse processo para a tendência se consolidar”, disse, em nota, a Federação.

No período, houve queda de 1,7% da proporção de empresários que dizem estar com estoques acima do desejado e aumento de 4,4% na quantidade de empresários que pensam ter estoques abaixo do desejado.

De acordo com a FecomercioSP, “a inadequação dos estoques cresceu ao longo dos últimos meses e, em geral, isso decorreu do aumento do número de empresários do varejo que percebiam seus estoques crescendo em relação ao desejado. Contudo, o cenário mudou em janeiro de 2015, com aumento significativo da proporção de empresários que dizem ter estoques relativamente baixos, o que é, apesar da queda do índice, um bom sinal para o varejo”.

Leia mais 

Comerciante em SP começa o ano menos confiante

Varejo de SP segue com queda nas vendas

Percepção sobre estoques piora em SP

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Quanto custa abrir uma franquia de varejo no Brasil?

Home office é tendência de trabalho para 2020: veja 5 dicas

“Parasita”: Pessoas, baratas, parasitas e a diluição da identidade

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

Quais são as tendências para 2020. Veja a lista

VEJA MAIS