Google abre loja física e e-commerce

A loja é em Londres e o Google Store na internet ainda só é disponível para os Estados Unidos

O Google não dá ponto sem nó mesmo. A companhia lançou oficialmente ontem (11) o Google Store, e-commerce da marca para vender os produtos que têm desenvolvido nos últimos anos.

Essa também é a missão da primeira operação física da companhia, o Google Shop, aberto em Londres. “O passo da inovação dos nossos aparelhos tem sido incrível, mas o jeito como os compramos ainda é o mesmo há anos. Com o Google Shop, queremos oferecer às pessoas um lugar onde elas podem tocar, experimentar e aprender mais sobre tudo o que o Google oferece”, disse James Elias, diretor de marketing do Google na Inglaterra, segundo o jornal The Wall Street Journal.

A loja é no modelo store-in-store (loja dentro da loja) e está dentro da empresa de tecnologia Dixons Carphone?s Currys PC World, no Tottenham Court Road. Há algum tempo a marca testava entrar no varejo ao promover seus produtos em grandes lojas de tecnologia.

Na loja londrina, além dos equipamentos da marca, há uma parede digital onde os consumidores podem se sentir parte do time de criação e utilizar um spray digital para fazer o próprio Doodle (a arte, muitas vezes, interativa, que aparece na página inicial da marca em datas festivas, em homenagens, etc). A arte pode ser compartilhada nas redes sociais. Há também uma grande tela onde é possível acessar o Google Earth.

Ironicamente (ou não), a loja da marca está pertinho da flagship da Apple. A Amazon, outra gigante da tecnologia, também tem feito esforços para ir para o varejo físico. A derrocada da RadioShack pode ser uma oportunidade para a marca, que pode comprar algumas das lojas da rede norte-americana para iniciar suas operações na rua.

O movimento do varejo online indo para o físico tem sido visto há alguns anos, mas é reforçado quando gigantes como o Google e a Amazon investem para entrar neste mercado em busca pela oferta da experiência completa ao consumidor – muito demandada hoje.

 

O Google também tem estudado abrir lojas nos Estados Unidos há dois anos, mas até agora isso não aconteceu. Por outro lado, o mercado norte-americano ganhou o e-commerce da marca, o Google Store.

Segundo a companhia, os devices da marca têm sido vendidos no Google Play por anos. Agora é hora de mudar: “adicionamos mais produtos a família e pensamos que era hora de tornar isso mais fácil (para o consumidor)”, disse, em nota.

No store.google.com, apenas disponível nos Estados Unidos, é possível comprar os telefones Nexus, tablets, os Chromecasts e os Chromebooks, além de saber das novidades do Android Wear, os relógios inteligentes da marca, sobre o Nexus Player e o Nest, além de acessórios. Agora é esperar para ver quais serão os próximos passos. 

Leia mais 

Falência da RadioShack pode ser salto para Amazon

Cai distância entre o on e o off

O varejo segundo o Google

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Vídeos

VEJA MAIS

Revista Consumidor Moderno

VEJA MAIS