Dia do Consumidor: o que temos a comemorar e evoluir?

Empoderamento do consumidor, regulação e diálogo. Onde chegamos e quanto precisamos trilhar?

No dia 15 de março comemora-se o Dia do Consumidor. Com a criação do Código de Defesa do Consumidor (CDC), em 1990, a sociedade do consumo nacional ganhou um importante mecanismo, que funciona como combustível até os dias atuais para o empoderamento do consumidor.

A partir disso a defesa do consumidor ficou mais importante e hoje tornou-se política de estado, com a Senacon e o Plandec.

Hoje, já são 96 milhões de brasileiros on-line e muitos deles com a conexão na palma da mão, já que um a cada dois brasileiros, entre 16 e 34 anos, possui um smartphone.

Os brasileiros estão cada vez mais conectados, o que muda totalmente a maneira como as marcas devem se comunicar com eles.

?É importante resgatar na memória para termos um olhar otimista. Falar de vitória dos consumidores é falar de todos os envolvidos no mercado. É ter uma fala de avanço?, destaca Juliana. Ninguém um dia acordou e pensou em conviver em paz com o direito do consumidor, simplesmente. Foi um processo de valor, de respeito. ?São benefícios da sociedade, um patrimônio que precisa ser preservado. Não podemos perder a integridade, vamos daqui para melhor?, conclui.

Mas existem ainda muitos pontos em que o Brasil precisa evoluir. Não existe real empoderamento do consumidor, sem mecanismos que garantam efetivamente a fiscalização desses direitos. No caso do Brasil, as agências reguladoras especificamente, que ainda estão aquém das necessidades dos consumidores de ficalizar e das empresas na criação de diretrizes claras.

Mas, o mais importante, é que hoje, acima de tudo alcançamos a mais preciosa conquista: o diálogo. E na Era do Diálogo, conversando a gente se entende. O que já é o pontapé inicial para o gol de placa de um modelo de defesa do consumidor que não existe em nenhum lugar do mundo e deve ser exemplo.

linha tempo consumidor direitos

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS