Açúcar: entre o ideal, o recomendado e os excessos

A Organização Mundial da Saúde ? OMS ? sugere redução no consumo diário de monossacarídeos e dissacarídeos pela metade

Por: - 5 anos atrás

Em consulta pública recém-lançada, a OMS sugere a redução na recomendação do consumo diário de açúcar que vigora desde 2002. A proposta é que as pessoas reduzam o consumo diário para menos que 5% da ingestão energética total – isso significa que adultos teriam benefícios para a saúde se limitassem o consumo diário a aproximadamente 25 gramas (algo em torno de seis colheres de café).

Até então, a OMS situava o índice em 10%. Na avaliação da organização, a limitação no consumo contribuiria para reduzir problemas de saúde pública. Os limites sugeridos se aplicam a todos os monossacarídeos (como glicose e frutose) e dissacarídeos (como a sacarose ou o açúcar de mesa) que são adicionados pelos fabricantes de alimentos, cozinheiros ou os consumidores, assim como os açúcares presentes de forma natural no mel, xaropes, sucos de frutas e concentrados de frutas.

A proposta da OMS foi formulada com base em análises de todos os estudos científicos publicados sobre o consumo de açúcares e como ele se relaciona com o ganho de peso e com a cárie dentária em adultos e crianças.

Os perigos do açúcar
?O açúcar é rico em calorias e pobre em nutrientes, por isso devemos restringir ainda mais seu consumo. Segundo alguns estudos o excesso causa cáries, sobrepeso e obesidade, além de risco para desenvolvimento de diabetes. Por isso a OMS propõe uma redução no consumo?, explica a nutricionista Elaine de Pádua.

De acordo com a especialista, o índice de crianças e adolescentes obesos aumentou 240% no Brasil nos últimos 20 anos. Uma pesquisa realizada pela Força Tarefa Latino-Americana de Obesidade (entidade que reúne as principais sociedades de combate ao excesso de peso na região), hoje há 70 milhões de pessoas acima do peso na América Latina.

Outro ponto negativo do açúcar é a sobrecarga no pâncreas para produção de insulina (o órgão é responsável pela produção de insulina), que mantém os níveis de glicose controlados no sangue. Essa deficiência pode levar ao diabetes tipo 2.

Para a nutricionista, o aumento do nível de triglicérides também é um ponto negativo a ser considerado, pois o consumo exagerado do açúcar pode contribuir na elevação no nível de triglicérides, problema bastante comum atualmente em crianças.

* Fonte: CicloVivo.

 

Leia mais:

10 alimentos cotidianos com alto teor de sódio

Você é o que você come?

Diabetes: você conhece os tipos, sintomas e tratamentos?