Como será o amanhã para o consumidor moderno?

O Brasil é o país do futuro? Como vemos os dias de amanhã no presente?

Temos uma legislação de consumo invejável e por muitos somos vistos como o país do futuro. ?Coisa que eu digo sobre o futuro é: ele será surpeeendente. Tenho certeza que daqui a 20 anos o Brasil será um maiores países do mundo”, é o que diz Peter Kronstrom, diretor da Copenhagen Institute for Futere Studies no Brasil.

Na festa dos 20 anos da revista Consumidor Moderno alguns executivos apresentaram seus insights sobre como serão os próximos 20 anos no mercado de consumo do Brasil e do mundo.

Para Rafael Dualibi, vice presidente da Sky, para saber como será o futuro, é necessário falar com Roberto Meir, publisher da revista e idealizados da Consumidor Moderno. ?Ele é o visionário?, diz.

“Vejo um futuro em que o consumidor terá toda voz e as empresas caminharão em direção a ele”, é p que afirma Pedro Donda, presidente do Sem Parar.

Márcio Kumruian, presidente da Netshoes, acredita que muito disso se deve à mobilidade trazida pelos celulares e que por isso as respostas deverão ser mais rápidas no futuro.

É indubitável que o consumidor está no centro do mercado atualmente – e que quaisquer empresas que fujam disso perecerão. ?A maturidade das empresas e do consumidor traz muitos benefícios ao relacionamento. O que buscamos é a fidelização desse cliente, pois o mercado está muito mais competitivo. Se não houver transparência, perde-se em competitividade?, explica Paulo Pompílio, diretor corporativo do Pão de Açúcar.

?As pessoas têm liberdade na própria jornada, Hoje temos informação e conexão a muitas pessoas, por meio dos meios de comunicação disponíveis. Queremos o mesmo das empresas. Aqueles que não tirarem os obstáculos da experiência desaparecerão?, finaliza Ricardo Gorski, diretor geral da Interactive Intelligence.






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS